Homenagem à Biblioteca Postal

4 de maio de 2018


04-Homenagem à Biblioteca Postal
(Emissão Postal Especial)

04-Homenagem à Biblioteca Postal
(Emissão Postal Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
————————————————————–
SOBRE O SELO

Em primeiro plano, a imagem do selo apresenta um livro aberto de onde surgem alguns itens utilizados nas operações realizadas pelos Correios: sacolas e malas postais, caixas de correspondências residenciais, caixas de coleta, antigas e atuais, carimbos datadores e correspondências. Os objetos que pairam sobre o livro representam as diversas atividades postais executadas ao longo do tempo, cujos procedimentos estão documentados e disponíveis para consultas e estudos na Biblioteca Postal em Brasília. Ao fundo, uma estante de livros remete ao acervo da história e dos registros de operações realizadas pelos Correios, desde a sua fundação, ainda no tempo do Império, até os dias de hoje. Foram utilizadas as técnicas de desenho a lápis H, 2B e 3B e computação gráfica e as cores foram usadas com o intuito de passar antiguidade e modernidade através dos tempos. Vívia Ferreira é ilustradora e estudante de Design Gráfico no Centro Universitário IESB e seu portifólio pode ser visto em www. behance.net/vivialferreira

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 4 Arte: Vívia Ferreira Processo de Impressão: ofsete Papel: cuchê gomado Folha com 18 selos Valor facial: R$ 1,55 Tiragem: 180.000 selos Área de desenho: 40mm x 30mm Dimensão do selo: 40mm x 30mm Picotagem: 11,5 x 12 Data de emissão: 04/05/2018 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasil Cód. de comercialização: 852012594

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
HOMENAGEM À BIBLIOTECA POSTAL

A Biblioteca Postal, vinculada ao Museu Correios, está sediada em Brasília, desde 1980. Nem sempre foi assim. O passado conta o contrário. A Biblioteca “nasceu” primeiro no Rio de Janeiro, tendo sido constituída pelo Decreto nº 9.912-A, de 26 de março de 1888, no inciso 12 do art.103, e somente um ano depois surge o Museu como anexo ao seu espaço.

Já nas primeiras décadas do século XX, observa-se a existência de outras bibliotecas nas estruturas administrativas estaduais dos Correios, cuja função era a guarda de obras, jornais, boletins, anuários, tanto nacionais como estrangeiros, principalmente sobre serviços postais.

No momento da criação do Departamento de Correios e Telégrafos – DCT, em 1931, solicitava-se dos dirigentes uma maior atenção para que a biblioteca cumprisse seu papel como centro da cultura. A história demonstra que tal fato ocorreu com a publicação do Decreto nº 51.902 de 1963 que definiu as competências da biblioteca do DCT com maior nível de importância e complexidade, tendo por finalidade oferecer aos servidores do Departamento elementos para consulta de assuntos técnicos e legislação que se relacionava com os serviços postais e telegráficos.

O final da década de 60 é marcado pela transformação do DCT em Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos – ECT e as décadas seguintes evidenciam grandes avanços quanto a prestação do serviço de correios. Esse avanço fica evidente também devido ao expressivo investimento em educação com o estabelecimento de novos Centros de Treinamento e a criação da Escola Superior de Administração Postal. Estas unidades eram equipadas com bibliotecas que contribuíam na formação e capacitação da comunidade de empregados, clientes, fornecedores e parceiros da ECT.

Carimbos de bibliotecas, registrados no atual acervo bibliográfico dos Correios, comprovam o legado das bibliotecas criadas e extintas nas unidades centrais e regionais no decorrer desses 130 anos.

Com a transferência do Museu para Brasília, na década de 80, a biblioteca à ele vinculada se especializou como uma unidade de caráter essencialmente postal e telegráfico, caracterizando-se como uma rica fonte de pesquisa histórica.

Seu acervo é composto por documentos bibliográficos, dentre eles, obras raras como a Coleção das Decisões do Império do Brasil, periódicos da União Postal Universal – UPU, Revista Telegráfica Brasileira e Boletins de Filatelia, bem como materiais especiais produzidos pelos Correios que estão disponíveis para empréstimo local.

Em 2017, a implantação de um sistema de busca informatizada unificou o acesso do público em geral aos acervos da Biblioteca Postal e demais bibliotecas da Empresa que estão localizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e em Brasília, na Universidade Correios. Juntos formam a rede Saber+ com um universo de 60 mil exemplares bibliográficos disponíveis para pesquisa on line (https://apps.correios. com.br/biblioteca).

Os Correios, com esta emissão, reconhecem a importância da Biblioteca Postal e a dedicação daqueles que, ao longo dos seus 130 anos, tem contribuído para o processo de construção do conhecimento e preservação da memória da empresa e do país.

Camila Alves de Sena
Bibliotecária – Correios
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

Edital 4 – 2018
Homenagem à Biblioteca Postal
(Emissão Postal Especial)

Febre Aftosa

2 de abril de 2018


03-Febre Aftosa
(Emissão Postal Especial)
03-Febre Aftosa
(Emissão Postal Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
————————————————————–
SOBRE O SELO

O selo comemora uma grande conquista da pecuária brasileira: o reconhecimento do Brasil pela Organização Mundial de Saúde Animal como zona livre da febre aftosa com vacinação. Para isso, o design gráfico do selo é composto pelo título que comunica de forma objetiva a conquista e também pela imagem de um boi Nelore, uma das raças zebuínas. O zebu representa mais de 80 % do rebanho bovino nacional. O verde do campo, o azul do céu e o amarelo do sol remetem às cores da bandeira brasileira. Outro detalhe é o brinco da orelha do boi, que garante sua rastreabilidade com registro da genealogia desde o seu nascimento até o final da sua vida, mais que, na imagem destaca o ano em que o Brasil recebe esse importante reconhecimento internacional. Foram usadas técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 3 Processo de Impressão: ofsete Papel: cuchê gomado Folha com 15 selos Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 150.000 selos Área de desenho: 25mm x 35mm Dimensão do selo: 30mm x 40mm Picotagem: 12 x 11,5 Data de emissão: 02/04/2018 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasil Cód. de comercialização: 852012560

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
FEBRE AFTOSA

A febre aftosa é uma doença infecciosa causada por vírus que atinge principalmente animais de cascos bipartidos, como bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos, suínos e algumas espécies silvestres. A doença provoca febre alta, feridas na boca e nas patas dos animais, perda de peso e maior propensão a desenvolver outras doenças. O vírus da febre aftosa é altamente contagioso e pode rapidamente infectar grande número de animais suscetíveis, causando perdas de produção e, principalmente, sérias restrições comerciais e danos econômicos.

No Brasil, a prevenção da doença é feita principalmente por meio do funcionamento de estruturas e vigilância contínua para proteger as zonas livres, avaliações e gestões de riscos, e a vacinação sistemática e obrigatória de bovinos e bubalinos.

Ao longo do processo de erradicação da doença no país, predominou a implantação de zonas livres com vacinação. Hoje, o Estado de Santa Catarina é a única unidade da Federação com o reconhecimento de zona livre de aftosa sem vacinação.

Em outubro de 2017, o Brasil encaminhou à Organização Mundial de Saúde Animal – OIE pedido de reconhecimento das últimas áreas do País (Roraima, Amapá e partes dos estados do Amazonas e Pará), como zona livre de febre aftosa com vacinação. O pleito está sob análise e a expectativa é que seja aprovado na 86ª Sessão Geral da Assembleia Mundial da OIE, a ser realizada no período de 20 a 25 de maio de 2018 em Paris. Com a aprovação, o Brasil receberá a última certificação esperada, para que todo seu rebanho pecuário susceptível do país seja contemplado com as zonas livres da doença implantadas até o momento, o que certamente refletirá para ampliação dos mercados internacionais às carnes brasileiras, gerando benefícios e crescimento ao setor agropecuário do País.

Ao mesmo tempo, o serviço veterinário oficial brasileiro, com participação do setor privado, iniciou um novo processo que busca ampliar a zona livre de febre aftosa sem vacinação do país nos próximos anos e o Brasil alcance o status sanitário de país livre de febre aftosa sem vacinação até 2023. Dessa forma, o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), embasado no Plano Estratégico do PNEFA 2017-2026 e nas diretrizes internacionais, almeja completar o processo de erradicação da doença no território nacional e sustentar essa condição sanitária.

Com essa emissão, os Correios valorizam os progressos alcançados na erradicação da febre aftosa do território nacional e divulgam o trabalho que está sendo realizado para atingir as novas metas estabelecidas para sua etapa final, o que contribuirá na certificação da qualidade da carne produzida e exportada pelo Brasil.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

Edital 3 – 2018
Febre Aftosa
(Emissão Postal Especial)