120 ANOS DO CERCO DA LAPA É COMEMORADO COM INCLUSÃO DE ATIVIDADES DE CUNHO FILATÉLICO

A Prefeitura da Lapa, Paraná, relembrou neste mês os 120 Anos do “Cerco da Lapa”, um memorável episódio militar que ocorreu durante a Revolução Federalista em 1894, quando a cidade tornou-se arena de um sangrento confronto entre as tropas republicanas, os chamados pica-paus (legalistas), e os maragatos (federalistas), contrários ao sistema presidencialista de governo. Os legalistas resistiram ao cerco por 26 dias, mas sucumbiram pela falta de munição e comida.

A programação cultural, cívica e militar abrangeu o período de 5 a 9 de fevereiro e incluíu dois eventos de cunho filatélico. No dia 5, na abertura da semana cultural, aconteceu a inauguração de uma mostra filatélica e no dia 9, no encerramento, o lançamento de folha de selos personalizados com vinheta alusiva aos 120 Anos do Cerco da Lapa.

No dia da abertura, compareci ao local onde seria inaugurada a mostra, a Sala de Exposições do Museu Casa Lacerda.

Na entrada da cidade, belissima obra de Poty, que nos transporta às origens da Lapa.


Monumento aos Tropeiros, de Poty Lazzarotto, acesso à cidade da Lapa

Museu Casa de Lacerda – vista parcial da fachada, com os participantes da Mostra, André Luiz Ferreira dos Santos e João Alberto Correia da Silva

Ao chegarmos ao local da mostra, a sala de exposições do Museu Casa Lacerda, verificamos que o comparecimento de convidados e visitantes era apreciável.


Aspecto parcial dos convidados e demais visitantes.

Logo após nossa chegada a Prefeita da Lapa, Leila Aubrift Klenk, deu por inaugurada a “1ª Esposição Filatélica da Lapa – Selos do Brasil e do Mundo”, dando as boas-vindas a todos os presentes.

Registramos a presença de Secretários da Municipalidade, Chefes de Departamento, de funcionários dos orgãos envolvidos na cerimônia, do Curador da Mostra, do Presidente da SOFICUR, além de estudantes e demais visitantes interessados no evento.


Coleção do lapeano André Luiz Ferreira dos Santos , selos e blocos do Brasil e de diversos temas.

Coleção “Vinda da Família Real para o Brasil – Causas e consequências

Em seguida, passou-se a apreciar as coleções expostas. A Senhora Prefeita demonstrou grande interesse, fazendo várias perguntas sobre como colecionar, quais os parâmetros que valorizam os selos, quais os cuidados e técnicas utilizados na arte de colecionar selos, entre outras.

Após um “coffee-break”, aproveitei para visitar as demais dependências do Museu.


Mosaico de fotos mostrando algumas das peças expostas no Museu Casa Lacerda

No domingo, dia 9, o Presidente, o Vice-Presidente e o Diretor de Patrimônio da Soficur, João Alberto Correia da Silva, Ricardo dal Pasqual e Paulo Weinhardt Sesola, respectivamente, compareceram à Lapa para assistir ao lançamento do selo personalizado emitido em comemoração da data. Foi escolhido, muito adequadamente, o selo da emissão Gralha Azul e a vinheta reproduz xilogravura do artista lapeano Fernando Calderari criada especificamente para esta emissão. O tema, conforme explicado durante a cerimonia, poderia ter sido a reprodução dos atos de bravura praticados durante o Cerco da Lapa, ou alguma imagem de natureza bélica. Todos os envolvidos optaram por uma imagem da fachada do Teatro São João, numa referência à riqueza cultural e artistica existente na época.


Selo personalizado “Cerco da Lapa – 120 Anos: Theatro São João”
Reprodução de Xilogravura de Fernando Calderari

Theatro São João

A cerimônia de lançamento do selo personalizado, consistiu, como é de praxe nessas ocasiões, na obliteração do selo, mediante aposição de carimbo.

Chamada à mesa, a representante do Diretor dos Correios no Paraná, convocou a Prefeita da Lapa para a primeira obliteração. Após a exibição da peça filatélica, fizeram uso da palavra a Gerente da Região de Vendas Metropolitana demonstrando profundo conhecimento do tema, a Prefeita da Lapa, que dissertou sobre a opção de tornar esta comemoração e as futuras num conjunto de atividades culturais, cívicas e esportivas, com a participação dos cidadãos lapeanos. Finalmente, fez uso da palavra a Diretora do Departamento de Cultura, que relatou as ações que foram desenvolvidas pela equipe para alcance dos objetivos que lhe foram traçados.


Theatro São João
Cerimônia de lançamento do selo personalizado

No retorno para Curitiba, na saída da Lapa, a outra face do Monumento aos Tropeiros, de Poty Lazzarotto, nos faz sentir saudades.


Monumento aos Tropeiros, de Poty Lazzarotto – saída da cidade

Acredito que para alguns filatelistas, habituados a frequentar exposições de caráter regional, nacional e até mundial, como foi o caso da recente BRASILIANA -2014, a mostra possa parecer demasiadamente simples.

Contudo, tenho plena convicção que iniciativas desta natureza, realizadas por motivação de autoridades municipais, que sabem poder contar com a implicita colaboração dos Correios e, em alguns casos, de entidades filatélicas, desempenham papel primordial no desenvolvimento do gosto pela filatelia entre crianças e jovens, o que, convenhamos, é essencial para que o nosso “hobby” continue vivo por muitos e muitos anos.

Parabenizo a Prefeita e a Camara Municipal da Lapa e suas equipes, o Diretor dos Correios no Paraná e sua equipe e a Diretoria e Associados da Sociedade Filatélica de Curitiba, pelo empenho na contribuição, nos limites de cada um, para o constatado sucesso deste evento.

Espero que nos próximos anos, a Lapa continue incluindo em suas comemorações algum tipo de evento filatélico, mantendo acessa esta pequena mas firme chama.

João Alberto Correia da Silva