EMISSÃO DE SELO PERSONALIZADO LEMBRARÁ OS 700 ANOS DO MARTÍRIO DE JACQUES DE MOLAY, ÚLTIMO GRÃO-MESTRE DOS TEMPLÁRIOS

Recebi mensagem do Clube Filatélico Maçonico do Brasil (CFMB) informando que, por ocasião (1º a 3 de agosto de 2014) da realização do X CNOD Congresso Nacional da Ordem Demolay,  promoção do Supremo Conselho da Ordem Demolay para a Republica Federativa do Brasil – SCODRFB, e realização do Conselho da Ordem para o Estado do Ceará, ocorrerão os lançamentos de selo personalizado e de carimbo comemorativo em alusão aos 700 anos do martírio do último Grão-Mestre dos Templários Jacques De Molay. Também acontecerá uma Mostra Filatélica Maçônica que será realizada com apoio da Seção de Filatelia da DR/CE.

Anexadas ao e-mail recebi as imagens do selo e do carimbo:72-01

Selo Personalizado “700 Anos Jacques de Molay – X CNOD Fortaleza 2014

72-02

Carimbo comemorativo “700 Anos Jacques de Molay – X CNOD Fortaleza 2014

A Arte do Jacques De Molay que serve de base do Carimbo é do renomado filatelista Biaggio Mazzeo com adequação para os moldes que os correios exigem para confeção do carimbo, sendo esta a primeira vez em que De Molay é homenageado, filatelicamente, no Brasil

O selo personalizado foi confeccionado pelo jovem membro-demolay Lucas Ribeiro (20 anos) residente em Fortaleza.

O CFMB, que foi fundado em 1972 na cidade de Florianópolis SC, sendo seu atual Presidente o Dr. Renato Mauro Schramm, renomado filatelista temático, batalhador da filatelia maçônica nacional, participa de toda a elaboração tanto do selo quanto do carimbo e, inclusive, promoverá a Mostra Filatélica com apoio da Seção de Filatelia da DR/CE.

Serão confeccionados envelopes comemorativos com o selo personalizado e carimbo, os quais o CFMB colocará à venda durante o evento. Quem tiver interesse em adquiri-los à distância, o endereço eletronico para obter as informações necessárias é:

contatocfmb@gmail.com

Meu conhecimento sobre Maçonaria é mínimo, limitado ao estudo de algumas peças filatélicas (envelopes circulados e comemorativos de primeiro dia de circulação) e literatura filatélica sobre esse tema, que adquiri, junto com outro material que me interessava, do acervo de um colecionador já falecido.

Tentando saber algo sobre Jacques de Molay, consultei meu assistente insubstituível, o “Google”, que me remeteu à página da Wikipédia sobre essa personagem histórica. Transcrevo um trecho do que consta do artigo.

“Nascido em Molay, comuna francesa atualmente localizada no departamento de Haute-Saône, França, embora à época o vilarejo pertencesse ao Condado da Borgonha. Jacques de Molay nasceu no ano de 1244, em uma família da pequena nobreza francesa. Muito pouco se sabe sobre sua infância e adolescência.

Aos seus 21 anos de idade, como muitos filhos da nobreza européia, de Molay entrou para a Ordem dos Cavaleiros Templários, organização sancionada pela Igreja Católica Apostólica Romana para proteger e guardar as estradas entre Jerusalém e Acre, sendo a última, à época, um importante porto no mar Mediterrâneo. A Ordem dos Cavaleiros Templários participou das Cruzadas, e conquistou um nome de valor e heroísmo.

Nobres de toda a Europa enviavam seus filhos para serem cavaleiros templários, e isso fez com que a Ordem passasse a ser muito rica e popular em todo o continente europeu e Oriente Médio.

Em 1298, Jacques de Molay foi nomeado grão-mestre dos Cavaleiros Templários, uma posição de poder e prestígio. Assumiu o cargo após a morte de seu antecessor Teobaldo Gaudin, no mesmo ano – 1298.

(…)

O ano de 1307 viu o começo da perseguição aos cavaleiros. Apesar de possuir um exército com cerca de 15 mil homens, Jacques de Molay havia ido a França para o funeral de um membro feminino da Casa Real Francesa e havia levado consigo poucos cavaleiros. Na madrugada de 13 de outubro, ele e seus homens foram capturados e lançados nas masmorras por um homem de confiança do rei Filipe IV, Guilherme de Nogaret.

Durante sete anos, Jacques de Molay e os cavaleiros aprisionados sofreram torturas e viveram em condições subumanas. Enquanto isso, Filipe IV gerenciava as forças do papa Clemente V para condenar os templários. Suas riquezas e propriedades foram confiscadas e dadas a proteção de Filipe.

Após três julgamentos, Jacques de Molay continuou sendo leal para com seus amigos e cavaleiros. Ele se recusou a revelar o local das riquezas da Ordem, e recusou-se a denunciar seus companheiros. Em 18 de março de 1314, foi levado à Corte Especial. Como evidências, a Corte dependia de confissões forjadas, supostamente assinadas por de Molay. Desmentiu, então, as mesmas confissões. Sob as leis da época, a pena por desmentir uma confissão era a morte. Foi julgado pelo Papa Clemente V, e assim como Jacques de Molay, outro cavaleiro, Guy d’Auvergne, desmentiu sua confissão e ambos foram condenados. O rei Filipe IV, o belo, ordenou que ambos fossem queimados naquele mesmo dia, e deste modo a história de Jacques de Molay se tornou um testemunho de lealdade e companheirismo. De Molay veio a falecer aos seus 70 anos de idade no dia 18 de março de 1314.”

O artigo completo pode ser acessado utilizando o seguinte link::

-Wikipedia-

Um dos itens de literatura que comprei é o catálogo “Briefmarken erzählen Freimaurergeschichte”, cujo título poderia ser traduzido como “Catálogo de Selos do Tema Maçonaria”, numa tradução livre.

O livro relaciona figuras de renome em várias áreas, como Imperadores, Reis, Presidentes, Cientistas, Exploradores e muitos outros que fizeram parte de(ou deram nome a) Lojas Maçônicas.

72-03

Capa do catálogo “Briefmarken erzählen Freimaurergeschichtge”

O catálogo, de autoria de Hans Offenbach, com quase 400 páginas, registra inicialmente selos comemorativos do tema e, a seguir, aqueles que especificamente homenageiam maçons de todo o mundo, por ordem alfabética de nomes.

Como não encontrei o nome de Jacques de Molay incluido na listagem, acredito que este personalizado constitui a primeira homenagem prestada àquele Grão-Mestre.

A título de informação/curiosidade, listo as personagens maçonicas brasileiras que foram homenageados em selos do Brasil, não necessáriamente nessa qualidade:

Bonifacio, José de, Andrada e Silva

Fonseca, Hermes, Marechal

Pedro I., Dom d’Alcántara (Kaiser von Brasilien und als Pedro IV. König von Portugal (Imperador do Brasil e também Pedro IV, Rei de Portugal).

Pesquisando na WEB encontrei link para página do Facebook elaborada pelo Clube Filatélico Maçonico do Brasil, onde, entre outras informações, são mostradas as capas de mais alguns livros de autoria do Dr. Renato Mauro Schramm, entre eles o Catálogo Maçônico de Selos e Carimbos do Brasil. Um exemplar deste livro faz parte do acervo da Sociedade Filatélica de Curitiba – SOFICUR. O link para a página da CFMB no Facebook é:

72-04

Clube Filatélico Maçônico do Brasil

Meus votos de muito sucesso ao encontro e que a exposição contribua para a caracterização da filatelia como instrumento de divulgação cultural.

Curitiba, 14 de julho de 2014 (atualizado em 16/07)
João Alberto Correia da Silva