BRAPEX 2015

XII Exposição Filatélica Brasileira

O Centro Cultural Correios convida para a solenidade de

inauguração da XII Exposição Filatélica Brasileira – BRAPEX – 2015

18 de novembro, às 16h.

Entrada Franca

Centro Cultural Correios

AV. São João, s/n – Vale do Anhangabaú

01031-970 São Paulo – SP

Circuito das Águas de Minas Gerais

18-selo01
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Baependi
(Emissão especial)

18-selo02
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Cambuquira
(Emissão especial)
18-selo03
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Campanha
(Emissão especial)
18-selo04
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Carmo de Minas
(Emissão especial)
18-selo05
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Caxambu
(Emissão especial)
18-selo06
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Conceição do Rio Verde
(Emissão especial)
18-selo07
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Lambarí
(Emissão especial)
18-selo08
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Maria da Fé
(Emissão especial)
18-selo09
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Soledade de Minas
(Emissão especial)
18-selo10
18- Circuito das Águas de Minas Gerais
Três Corações
(Emissão especial)
18-carimbo
18- Circuito das Águas – Minas Gerais
(Emissão especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação Caxambu
SOBRE OS SELOS

O conjunto de selos destaca as dez cidades localizadas ao sul de Minas Gerais, que compõem o Circuito das Águas. São elas: Baependi, Cambuquira, Campanha, Carmo de Minas, Caxambu, Conceição do Rio Verde, Lambari, Maria da Fé, Soledade de Minas e Três Corações. Os selos retratam as atrações turísticas, arquitetônicas e os referenciais hídricos e culturais característicos de cada cidade, que fazem da região importante polo turístico do estado. A aquarela, com retoques digitais, foi a técnica escolhida pelo artista para a composição dos selos.

DETALHES TÉCNICOS

Arte: Jean Paulo Lopes Processo de Impressão: ofsete Folha: 30 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 1.800.000 selos Área de desenho: 35mm x 25mm Dimensão do selo: 40mm x 30mm Picotagem: 11,5 x 12 Data de emissão: 9/11/2015 Locais de lançamento: Baependi, Cambuquira, Campanha, Caxambu, Carmo de Minas, Conceição do Rio Verde, Maria da Fé, Lambari, Soledade de Minas e Três Corações/MG Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Circuito das Águas – Minas Gerais

O Circuito Turístico das Águas de Minas Gerais encontra-se na região sul do estado e é composto pelos municípios de Baependi, Cambuquira, Campanha, Carmo de Minas, Caxambu, Conceição do Rio Verde, Lambari, Maria da Fé, Soledade de Minas e Três Corações. A região é uma excelente alternativa para quem busca melhorar ou manter a saúde, almeja livrar-se do estresse e deseja tranquilidade, relaxamento e muita paz.

As características terapêuticas das aproximadamente 35 fontes de águas minerais são conhecidas há muito tempo. Existem relatos de que membros da corte portuguesa estiveram na região em busca de tratamento de saúde. Com as águas da fonte rica em ferro, de Caxambu, que hoje leva o nome de Princesa Isabel e Conde d’Eu, a Princesa fez seu tratamento para fertilidade, em 1868. Com a cura da anemia, a Princesa Isabel conseguiu engravidar e, como agradecimento, presenteou a cidade com a Igreja de Santa Isabel.

As fontes possuem características distintas e as águas de cada uma delas são indicadas para diversos fins, como terapias alternativas de saúde e bem-estar. As águas, com características magnesianas, sulfurosas, ferruginosas, entre outras, devem ser tomadas diretamente na fonte para que permaneçam com suas propriedades ativas. Utilizando águas minerais e outros recursos naturais, os Balneários Hidroterápicos do Circuito Turístico oferecem uma série de opções de tratamentos, sejam terapêuticos, ou de relaxamento e revigoramento.

Além das fontes de águas minerais, cada município traz consigo especificidades que enriquecem ainda mais a experiência na região.

A religiosidade é destaque em Baependi, com a devoção à Beata Nhá-Chica, que viveu na região grande parte de sua vida. Nhá-Chica era filha de escravos, e considerada a “mãe dos pobres”, por sua grande dedicação aos mais necessitados. Desde sua morte, em 1895, vários relatos de cura são atribuídos a ela, motivo pelo qual foi beatificada em 2012.

O antigo Cassino de Lambari, inaugurado em 1911, relembra os tempos áureos da região. Período de glamour no qual recebia-se figuras ilustres, como governadores e presidentes.

Os passeios de charretes das cidades, juntamente com o Trem das Águas, de São Lourenço a Soledade de Minas, levam o visitante ao século XIX.

Os cafés especiais são destaque em Carmo de Minas. Em Conceição do Rio Verde, o visitante pode ir às compras nas inúmeras confecções de roupas. Com suas baixas temperaturas, Maria da Fé atrai visitantes que tem a oportunidade de conhecer de perto uma produção de azeite e em Três Corações, terra do rei Pelé, o futebol é destaque.

Por esses e outros motivos, a região é um dois principais destinos turísticos de Minas Gerais.

Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
18-edital
Edital 18 – 2015
Circuito das Águas – Minas Gerais
(Emissão Especial)
————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão preparadas peças filatélicas com base nos selos, carimbos, envelopes e cartões-postais.

Variedades de Pimentas Brasileiras

17-quadra01
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Quadra

17-quadra02

17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Quadra
17-selo01
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Pimenta malagueta (Capsicum frutescens)
17-selo02
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Pimenta Biquinho (Capsicum chinense)
17-selo03
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Pimenta Dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum)
17-selo04
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Pimenta Bode (Capsicum chinense)
p_variedades_pimentas_brasileiras
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação – BSB
17-01
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Detalhe ampliado do selo da Pimenta Malagueta, evidenciado o texto em microletras
17-02
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Detalhe ampliado do selo da Pimenta Biquinho, evidenciado o texto em microletras
17-03
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Detalhe ampliado do selo da Pimenta Dedo-de-Moça, evidenciado o texto em microletras
17-04
17- Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão especial)
Detalhe ampliado do selo da Pimenta Bode, evidenciando o texto em microletras
SOBRE OS SELOS

Esta emissão é composta de quatro selos, destacando as espécies de pimentas brasileiras, domesticadas, consideradas as mais significativas do Brasil, como: a malagueta(Capsicum frutescens), a biquinho (Capsicum chinense), a bode e a biquinho (Capsicum chinense). As duas últimas pertencem à mesma espécie Capsicum chinense, mas são grupos varietais distintos, diferenciando-se em formato, aroma, sabor, e ardume (pungência). As áreas de cultivo das espécies são diferentes. A bode é muito cultivada em Goiás e a biquinho, em Minas Gerais. A quadra é a reprodução de fotos dos cultivares naturais de cada uma das espécies mencionadas, que expressam, com seus elementos e componentes, a força e a beleza do conjunto iconográfico: fruto, rama e florada. Foram usadas microletras na identificação das variedades, localizadas nos ramos dos frutos e utilizadas as técnicas de manipulação de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 17 Arte: Maria Maximina Fotografias: Arquivo Embrapa Hortaliças Agradecimento: Cláudia Silva da Costa Ribeiro (Embrapa Hortaliças/CNPH) Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$1,95 Tiragem: 1.200.000 selos Área de desenho: 38mm x 38mm Dimensão do selo: 35,5mm x 35,5mm Picotagem: 11,5 x 11,5 Data de emissão: 16/10/2015 Locais de lançamento: Belém/PA, Belo Horizonte/MG, Brasília/DF, Goiânia/GO, Porto Velho/RO, Salvador/BA, Santa Leopoldina/ES, São José da Tapera/AL Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Variedades de Pimentas Brasileiras
Pimentas Brasileiras – variedades de espécies, cores, aromas e
sabores

Esta emissão destaca quatro significativas espécies de pimentas domesticadas, cultivadas no Brasil: malagueta (Capsicum frutescens); dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum); bode e biquinho (Capsicum chinense).

Pimentas Brasileiras (Capsicum spp.)

A origem americana é uma particularidade compartilhada por espécies vegetais como o milho, a batata, o tomate e as pimentas, entre outras, que se tornaram mundialmente conhecidas somente após o descobrimento das Américas. As pimentas do gênero Capsicumsão valorizadas por seus atributos culinários, medicinais, ornamentais e, até mesmo, como arma de defesa. Fazem parte da biodiversidade brasileira e, conforme registros arqueológicos e relatos de naturalistas sobre o uso por parte dos indígenas, anteriores à descoberta do Novo Mundo, foram incorporadas à cultura e à dieta brasileira. São cultivadas em todo o território nacional com uma imensa variedade de tipos, nomes, tamanhos, cores, sabores e pungência, sendo consumidas frescas, desidratadas e de diversas formas em molhos, conservas, geleias e pastas.

O gênero Capsicum, pertencente à família botânica Solanaceae, é composto por cerca de 30 espécies. O Brasil é um importante centro de diversidade desse gênero, pois em seu território encontram-se espécies, em todos os níveis, domesticadas, semidomesticadas e silvestres.

Dentre as cinco espécies domesticadas, quatro são cultivadas no Brasil: C. annuum L. var. annuum (maior frequência nas regiões Sudeste e Centro-Oeste), representada pelos pimentões e pela pimenta Jalapeño; C. baccatum L. var. pendulum (Willd.) Eshbaugh (maior frequência nas regiões Sudeste e Sul), tendo como principal representante a pimenta Dedo-de-moça; C. chinense Jacq. (maior frequência nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste), sendo as pimentas Biquinho e Bode as mais populares, e C. frutescens L., representada pela pimenta Malagueta. Capsicum frutescens é a espécie mais difundida e consumida no Brasil, enquanto a espécie C. chinense é considerada a mais brasileira das espécies domesticadas porque sua área de maior diversidade está localizada na Bacia Amazônica.

Novas cultivares de pimentas tipicamente brasileiras têm sido desenvolvidas pelo programa de melhoramento genético de Capsicum da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Hortaliças) para atender às demandas da agricultura nacional, como a pimenta BRS Mari (Dedo-de-moça), a pimenta BRS Moema (Biquinho) e a pimenta BRS Seriema (Bode). Segue abaixo uma breve descrição dos principais tipos de pimentas consumidas no Brasil: malagueta, dedo-demoça, bode e biquinho.

Malagueta (Capsicum frutescens)

A pimenta malagueta é uma das mais conhecidas, consumidas e cultivadas em todo o país. Os frutos geralmente são pequenos e eretos, com formato alongado e paredes muito finas, variando de 1,5 a 3,5 cm de comprimento por 0,3 a 0,5 cm de largura. São de coloração verde, quando imaturos e, vermelha, quando maduros, com pungência (ardume) que varia de média a alta. Os frutos são destinados tanto para o mercado in natura, quanto para a indústria processadora, que deriva o produto em molhos, conservas, geleias e pastas. A culinária da região amazônica utiliza a pimenta malagueta de diversas maneiras: a damurida (caldo preparado à base de pimenta malagueta, servido com peixe ou carne de caça, hoje um prato regional), a jiquitaia (pimenta desidratada em pó, às vezes com sal) e os molhos preparados artesanalmente com pimentas inteiras e/ou trituradas acrescidas de uma base líquida (tucupi – suco extraído da raiz mandioca, soro-de-leite, vinagre, etc.). Na culinária nordestina, a malagueta é utilizada para temperar pratos típicos, como o acarajé e o vatapá, e nas demais regiões do país, é utilizada como tempero de pratos à base de peixes e carnes.

Dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum)

Também conhecida como pimenta vermelha ou calabresa, é um dos tipos mais consumidos no Brasil, principalmente nas regiões Sudeste e Sul, onde é muito usada no preparo de molhos e conservas ou na fabricação de pimenta calabresa (desidratada na forma de flocos com sementes). A pimenta calabresa é usada pela indústria principalmente como condimento em embutidos, carnes e linguiças. Os frutos são alongados (por isso, o nome dedo-de-moça) e pendentes, com espessura de polpa fina e coloração verde, quando imaturos, e vermelha, quando maduros. Medem cerca de 7 cm de comprimento por 1 a 1,5 cm de largura, com pungência baixa a média e pouco aroma.

Bode (Capsicum chinense)

É a pimenta mais popular na região Centro-Oeste, muito apreciada no estado de Goiás. Os frutos são arredondados ou achatados, geralmente pendentes, com cerca de 1 cm de comprimento por 1 cm de largura. Possuem coloração verde, quando imaturos, e amarelo ou vermelho, quando maduros, com pungência alta e aroma forte. Os frutos imaturos (verdes) da pimenta bode são geralmente comercializados frescos, e os frutos maduros (vermelhos ou amarelos) são utilizados em conservas com vinagre ou azeite e em molhos. Na culinária goiana, é usada como tempero no preparo de carnes, feijão, pamonha salgada e até em biscoitos de polvilho.

Biquinho (Capsicum chinense)

É uma pimenta que vem ganhando popularidade em várias regiões brasileiras por ser saborosa, crocante, aromática e doce, ou seja, sem a pungência característica das pimentas. Foi inicialmente cultivada na região do Triângulo Mineiro. Os frutos são pequenos, com 2,5 a 2,8 cm de comprimento e 1,5 cm de largura, com formato triangular pontiagudo como um biquinho, que dá origem ao nome dessa pimenta. Os frutos apresentam coloração verde, quando imaturos, alaranjada, quando em fase de maturação, e vermelha, quando completamente maduros. São usados para o preparo de conservas e geleias, podendo ser consumidos frescos, como aperitivos, e até como fruta.

Sabrina Isabel Costa de Carvalho
Analista da Embrapa Hortaliças
Luciano de Bem Bianchetti
Pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
Cláudia Silva da Costa Ribeiro
Pesquisadora da Embrapa Hortaliças
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
edital_pimentas_brasileiras_2.indd
Edital 17 – 2015
Variedades de Pimentas Brasileiras
(Emissão Especial)
————————————————————–
Peças Filatélicas
17-envcirc01
17 -Variedades de Pimentas Brasileiras
Emissão Especial)
Pimenta Malagueta (Capsicum frutescens)
Envelope circulado com carimbo datador

17 -Variedades de Pimentas Brasileiras
Emissão Especial)
Pimenta Biquinho (Capsicum chinense)
Envelope circulado com carimbo datador
17-envcirc03
17 -Variedades de Pimentas Brasileiras
Emissão Especial)
Pimenta Dedo-de-moça (Capsicum baccatum var. pendulum)
Envelope circulado com carimbo datador
17-envcirc04
17 -Variedades de Pimentas Brasileiras
Emissão Especial)
Pimenta Bode (Capsicum chinense)
Envelope circulado com carimbo datador
17-envreg
7 – Salário Mínimo Digno: valorize esse direito!
(Emissão Especial)
Envelope circulado, registrado, com carimbo datador
————————————————————–

Natal 2015

1 de outubro de 2015

16-selo01
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Selo 1º porte carta não comercial
16-selo02
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Selo 1º porte carta comercial
16-bloco

16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Bloco
16-carimbo
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Os selos apresentam imagens que personificam a gentileza e a boa vontade com o próximo. O primeiro selo mostra uma criança sendo presenteada e abraçada com carinho por sua tutora. No segundo selo, um afetuoso abraço une um avô e sua neta, representando, também, o carinho que deve unir crianças e idosos. Os selos têm, cada um, ao fundo, janelas com vitral ornamentado em cores vivas, transmitindo uma atmosfera de paz, religiosidade e aconchego fraternal. Na parte superior dos selos, dois fragmentos de guirlanda transmitem a alegria e a beleza dos tempos natalinos. Foi utilizada a técnica de ilustração digital.

SOBRE O BLOCO

Composto por três selos, o bloco apresenta imagens representativas de solidariedade e amparo, simbolizando presépios do cotidiano. No primeiro selo destacamos o cão guia auxiliando seu dono, o carinho da criança com seu animal de estimação, a mulher abraçando um cavalo e acariciando o cão, demonstrando ternura e respeito aos animais e a pomba sobre o grupo, simbolizando a Paz. No segundo selo vê-se uma família afetuosa, onde pais e filhos se harmonizam e interagem. No terceiro selo, os idosos, conduzindo pão, cobertor e presente, referenciam os três Reis Magos, onde o cadeirante é auxiliado por uma jovem. A estrela de Belém e os arcos representam a proteção para aqueles que servem e são servidos em suas jornadas de solidariedade. Na parte inferior do bloco, uma grade florida simboliza a segurança e a alegria dos três grupos representados. A técnica utilizada foi ilustração digital com aplicação de verniz localizado.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 16 Artes: Alan Magalhães

SELOS: Abraço: folha com 30 selos Presente: folha com 30 selos Processo de Impressão: ofsete Papel: cuchê autoadesivo Valor facial: Abraço: 1º Porte Carta Não Comercial Presente: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: Abraço: 3.000.000 selos Presente: 4.500.000 selos Área de desenho (ambos): 32mm x 32mm Dimensão dos selos: 36mm x 36mm Picotagem: semi-corte com “BR” Data de emissão: 1º/10/2015 Locais de lançamento: em todas as DRs Impressão: Casa da Moeda do Brasil Código de Comercialização: Abraço: 852010184 Presente: 852010192

BLOCO: Bloco com 3 selos Processo de Impressão: ofsete + verniz UV localizado Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 2,50 cada selo Tiragem: 150.000 blocos Área de desenho: 26mm x 44mm Dimensão dos selos: 26mm x 44mm Dimensão do bloco: 127mm x 85mm Picotagem: 11,5 x 11 Data de emissão: 1º/10/2015 Locais de lançamento: em todas as DRs Impressão: Casa da Moeda do Brasil Código de Comercialização: 852101015

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Natal – 2015

“Eu vim para servir”, da Campanha da Fraternidade 2015, os Correios lançam sua tradicional emissão de selos de Natal representando, por meio da arte filatélica, atitudes e gestos que traduzem a solidariedade, a gentileza e o dom de servir uns aos outros, práticas recomendadas nas Sagradas Escrituras, conforme Mc10,45, que afirma o seguinte: “Pois nem mesmo o Filho do homem veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos”.

Neste Natal, é importante conclamar a sociedade para a grandiosidade do ato de servir, oportunidade em que o verdadeiro espírito cristão se manifesta na vida de todos, irradiando alegria, generosidade, tolerância e compreensão, tornando o mundo mais feliz e em Paz.

Servir é ajudar, compartilhar, compreender e agir no sentido de harmonizar as pessoas, tornando-as fortalecidas e capazes de empreender em benefício de seu bem-estar e felicidade dos outros. Todos podem servir. Servimos quando escutamos, verdadeiramente, o que os outros dizem, quando compartilhamos o pão, a água, o nosso lar e os próprios sentimentos, quando orientamos e servimos de exemplo aos mais jovens, amparamos e auxiliamos os mais velhos, e quando respeitamos e praticamos as regras e leis que orientam uma comunidade cidadã.

Nesta emissão, os Correios registram os belos sentimentos, motivando as pessoas a refletir e dialogar sobre o verdadeiro significado de ser um agente a serviço da sociedade, buscando harmonia entre todos que dela participam. Feliz Natal a todos!

CORREIOS
NATAL: A CELEBRAÇÃO DA ESPERANÇA

“Minha alma exalta a Deus e meu espírito se encheu de júbilo por causa de Deus, meu Salvador, porque ele pôs os olhos sobre a sua humilde serva. Sim, doravante todas as gerações me proclamarão bem-aventurada, porque o Todo-Poderoso fez por mim grandes coisas: santo é o seu Nome. A sua bondade se estende de geração em geração sobre aqueles que o temem. Ele interveio com toda a força do seu braço, dispersou as pessoas de pensamento orgulhoso, precipitou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes, os famintos, cobrindo-os de bens e os ricos, despediu-os de mãos vazias” (Lc 1. 47-53).

Dos muitos textos bíblicos que anunciam o nascimento de Jesus, o texto, conhecido como Magnificat, talvez seja um dos mais belos e fortes. A beleza e a força do texto residem no anúncio do sentido do nascimento do Messias esperado. O Magnificat é repleto de conteúdo humanizador que expressa a esperança de transformação.

Para a tradição cristã o nascimento de Jesus representa exatamente essa esperança por transformação. Mais do que uma data festiva, o natal é a reafirmação desse sonho de transformação. Ao longo do ano, muitos fatos e acontecimentos revelam a urgência de repensar o processo de humanização da sociedade. Foi um ano de deslocamentos humanos provocados por profundos conflitos territoriais, cuja consequência foi o aumento do número de pessoas refugiadas no mundo. Foi também um ano de extremismos religiosos, que trouxeram à tona as muitas intolerâncias.

Todas essas experiências exigem a necessidade do resgate do sentido e do conteúdo do nascimento de Jesus. O nascimento dessa criança, em um lugar esvaziado de riquezas e poder, mais do que uma história extraordinária, representa a irrupção de um projeto de humanidade. Nesse projeto, alicerçado na certeza de que o amor de Deus é princípio, meio e fim, não cabe a negação da igualdade entre todas as pessoas e nem as arrogâncias exclusivistas que negam os direitos humanos universais. É um projeto de inversão da ordem em que as diversidades terão sua dignidade reconhecida e em que o poder não significará sujeição, mas colocar-se a serviço do outro.

Assumir o conteúdo do nascimento de Jesus, para cristãos e cristãs, é urgente, pois isso abre a possibilidade de ensaiar uma nova humanidade, cuja premissa é o amor, evidenciado na boa vontade e nas boas obras. Do sucesso desse ensaio depende a sobrevivência da humanidade.

Pa. Romi Márcia Bencke
Secretária Geral
Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – CONIC
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
16-edital
Edital 16 – 2015
Natal 2015
(Emissão Comemorativa)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Natal, religião, família, necessidades especiais, fauna.

————————————————————–
Peças Filatélicas
16-FDC01
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC
16-FDC02
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC
16-FDC03
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC
16-envcirc01
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC
16-envreg
16 – Natal 2015
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC

Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco

15-selos
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
15-carimbo
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Os selos que compõem esta sextilha destacam seis motivos associados à obra de São João Bosco, com o objetivo de marcar as comemorações de seu bicentenário de nascimento. Em primeiro plano, ao lado esquerdo de cada selo, encontra-se a imagem de Dom Bosco. Para referenciar a magnitude de sua obra, foram selecionados, com o auxílio de filhos salesianos, os seguintes motivos secundários: no primeiro selo, o Santuário Maria Auxiliadora, localizado no Bairro Santa Rosa, em Niterói, marca a chegada dos filhos de Dom Bosco ao Brasil; no segundo selo, a parte interna do Santuário Dom Bosco, construído, na década de 1960, em Brasília; no terceiro selo é destacado um grupo de dança das escolas e presenças salesianas; no quarto selo, é referenciada a atuação concreta de Dom Bosco e dos seus discípulos em relação à promoção integral dos jovens, especialmente os pobres e aqueles considerados em situação de vulnerabilidade social; o quinto selo remete à atuação de Dom Bosco em relação às culturas e povos indígenas; e, no sexto selo, vê-se a estátua de Dom Bosco, que se encontra no interior da Catedral Metropolitana de Brasília e a representação do sonho que orientou a fundação da capital do Brasil. A técnica utilizada foi a computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 15 Arte: Herbert Golçalves Barbosa Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos, sendo 4 sextilhas Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Não Comercial Tiragem: 2.400.000 selos Área de desenho: 35mm x 25mm Dimensão do selo: 40mm x 30mm Picotagem: 11,5 x 12 Data de emissão: 16/8/2015 Locais de lançamento: Belo Horizonte/MG, Brasília/DF, Campo Grande/MS, Cuiabá/ MT, Manaus/AM, Niterói/RJ, Porto Alegre/ RS, Porto Velho/RO, Recife/PE, São Paulo/SP Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
BICENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE DOM BOSCO,
1815-2015
Pai e Mestre da Juventude

João Bosco nasceu em 16 de agosto de 1815, no Colle dos Becchi, no Piemonte, Itália, localidade próxima à Castelnuovo de Asti, hoje Castelnuovo Dom Bosco. Filho de humilde família de camponeses, órfão de pai, aos dois anos, João Bosco viveu sua mocidade e iniciou seus estudos com muitas dificuldades, sendo obrigado a mendigar e a prestar serviços diversos como costureiro, sapateiro, ferreiro, carpinteiro e, nos tempos livres, estudava música. Sua mãe, que era analfabeta, mas rica de sabedoria cristã, com a palavra e com o exemplo animava-o no desejo de crescer virtuoso aos olhos de Deus e dos homens.

João Bosco dizia: – “Quando crescer quero ser sacerdote para cuidar dos meninos. Os meninos são bons; se há meninos maus é porque não há quem cuide deles”. Em 1835, entrou para o seminário de Chieri. Ordenado Sacerdote em 05/07/1841, logo deu provas de sua vocação apostólica, sob a direção de São José Cafasso, seu confessor. No dia 8 de dezembro desse mesmo ano, iniciou o seu apostolado juvenil em Turim, acolhendo e evangelizando um humilde rapaz chamado Bartolomeu Garelli. Começava, assim, a obra dos Oratórios Festivos destinada, em tempos difíceis, a preservar especialmente os filhos do povo da ignorância religiosa e da corrupção.

Dedicou-se ao bem-estar de muitos jovens. Com perfil de educador, de escritor, de linguagem fácil, espírito de liderança e práxis pastoral baseada na religião e na amabilidade, Dom Bosco levava os adolescentes e jovens à reflexão; ao encontro com Cristo e com os irmãos; à educação na fé e sua celebração nos sacramentos e ao empenho apostólico e profissional. Um dos mais belos frutos de sua pedagogia é São Domingos Sávio.

Aos filhos Salesianos deixou de herança uma forma de vida religiosa simples, mas solidamente baseada nas virtudes cristãs e sintetizada no binômio: “Trabalho e Temperança”. Dentre seus jovens procurou os melhores colaboradores para sua obra, dando origem à Sociedade de São Francisco de Sales. Juntamente com Santa Maria Domingas Mazzarello fundou o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e, também, a ADMA – Associação de Maria Auxiliadora.

No centenário de sua morte, o Papa João Paulo II declarou-o e proclamou-o Pai e Mestre da juventude, “determinando que com tal título seja ele honrado e invocado, especialmente por quantos se reconhecem seus filhos e filhas espirituais”.

A figura do pai e mestre dos jovens emerge como um sinal da providencia de Deus que – inspirador de “todo bom propósito”- não deixa faltar jamais santos à sua Igreja.

O Papa Pio XI declarou, por ocasião de sua canonização, em 1934: “Em sua vida, o sobrenatural tornou-se quase natural e o extraordinário ordinário”. Foi o próprio Dom Bosco quem mandou os salesianos fundarem, em 1883, o Colégio Santa Rosa, em Niterói, primeira casa Salesiana do Brasil e, em 1885, o Liceu Coração de Jesus, em São Paulo.

Sonhou, em 1883, com a Capital do Brasil, Brasília: “Aparecerá aqui a terra prometida, de onde jorrará leite e mel. Será uma riqueza inconcebível.” Pouco antes do início de Brasília o “sonho profético” de Dom Bosco já era conhecido. A fim de colocar sob a proteção de Dom Bosco toda a construção, o doutor Israel Pinheiro determinou que o primeiro ferro e o primeiro cimento chegados ao canteiro de obras fossem empregados na construção de uma ermida em honra ao Santo, desenhada por Oscar Niemeyer. Em 10 de junho de 1962, durante ato solene, juntamente com a Virgem de Aparecida, Dom Bosco foi proclamado Segundo Patrono de Brasília.

Dom Bosco fechou o ciclo de sua vida terrena aos 72 anos de idade, a 31 de janeiro de 1888, deixando a Congregação Religiosa Salesiana espalhada por diversos países da Europa e da América, estando, hoje, presente em 133 países.

Salesianos do Brasil
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
15-edital

Edital 15 – 2015
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Religião, efemérides, cristianismo, santos, educação, arte, cultura..

————————————————————–
Peças Filatélicas
15-FDC-01
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-02
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-03
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-04
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-05
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-06
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-FDC-sextilha
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)
15-maximo02-01

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Máximo postal
15-maximo02-02
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Máximo postal
15-maximo04-01
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Máximo postal
15-maximo04-02
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Máximo postal
15-maximo06-01
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Máximo postal

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)
15-envreg
15 – Bicentenário do Nascimento de Dom Bosco
(Emissão comemorativa)
Envelope circulado, registrado, com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação)

Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016

14-folha
14 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Folha com os 20 selos da série, dois de cada modalidade esportiva, com fundos diferentes entre os dois.

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo (fundo diferente)

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol (fundo diferente)

4 – Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Para dar continuidade à contagem regressiva para os Jogos Rio 2016, os Correios lançam a segunda emissão da série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Ela destaca mais dez esportes. São nove Olímpicos e um Paralímpico: boxe, canoagem, esgrima, futebol, golfe, handebol, judô paralímpico, taekwondo, tênis de mesa e triatlo. A imagem impressa em cada selo destaca um movimento característico da prática da modalidade enfocada. Em segundo plano, aparecem imagens com informações complementares sobre os esportes, retratando equipamentos, áreas de competição e uniformes. O fundo da estampa sobre a qual os selos estão colocados ressalta um recorte “Look of the Games”, identidade visual dos Jogos Rio 2016. As artes foram desenvolvidas por meio de técnicas tradicionais e digitais. As marcas Olímpica e Paralímpica conferem aos selos postais o status de produtos oficiais dos Jogos, o que valoriza as peças filatélicas, cuja função é levar para a posteridade os registros desse evento de alcance mundial que será realizado no Brasil.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 14 Arte: José Carlos Braga Processo de Impressão: ofsete Folha: 20 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 2.400.000 selos Área de desenho: 44mm x 26mm Dimensão do selo: 44mm x 26mm Picotagem: 11 x 11,5 Data de emissão: 6/8/2015 Locais de lançamento: Rio de Janeiro/RJ Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016

Caros,

É com muita alegria que recebi o convite para escrever o edital do segundo lançamento de selos da Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. A primeira série foi um sucesso e reafirmou o poder de engajamento da memorabília Olímpica e Paralímpica. Tenho certeza de que os dez novos selos, de um total de 31, vão surpreender a todos pela modernidade, modalidades enfocadas, cores e design.

Em 2015, o Comitê Paralímpico Brasileiro comemora duas décadas de existência cumprindo sua missão de promover o Movimento Paralímpico em todo o território nacional e organizar a participação de nossos atletas em competições internacionais. Durante esse tempo, o esporte Paralímpico no Brasil evoluiu muito e, hoje, temos atletas consagrados no cenário mundial. Os Jogos Rio 2016 serão o ápice da curva que o Movimento Paralímpico vem percorrendo, e o início de uma nova trajetória ainda mais ascendente.

O segundo lançamento da série comemorativa dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 dá continuidade a um marco histórico, uma vez que não há edição de Jogos sem selos especiais, e deixa como legado para o Brasil o fomento do mercado de colecionáveis.

Os Correios, ao prestarem essa bela homenagem às modalidades Olímpicas e Paralímpicas, desempenham um papel fundamental para alcançarmos nossos objetivos. Os selos vão levar os Jogos do Brasil para o mundo e vão ajudar a eternizar essa celebração memorável.

Saudações,

Andrew Parsons
Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
download.php
Edital 14 – 2015
Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Olimpíadas e Paralimpiadas, esportes.

————————————————————–
Peças Filatélicas

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol (fundo diferente)
Máximo postal

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Boxe (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Judô Paralímpico (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Esgrima (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Futebol (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Canoagem (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Golfe (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Trialto (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Tênis de Mesa (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Taekwondo (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Handebol (fundo diferente)
Envelope circulado com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Bloco de 10
Envelope circulado, registrado, com carimbo datador

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Bloco de 10, fundo diferente
Envelope circulado, registrado, com carimbo datador

Luta Contra o Tráfico de Pessoas

30 de julho de 2015
13-selo

13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
13-carimbo(Emissão Especial)

13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação

SOBRE O SELO

O selo apresenta, na base inferior, mãos atadas por correntes, entre grades estilizadas, que se desfazem, significando a libertação das vítimas do tráfico humano. A cor azul, predominante no selo, faz referência à ONU – Organização das Nações Unidas – por seu empenho contra a violência à dignidade das pessoas e valores da sociedade. Os símbolos da escravidão, da opressão e da vulnerabilidade do ser humano a esse tipo de crime atingem e traspassam o Coração Azul, simbolizando o enfrentamento ao tráfico, o comprometimento das instituições e da sociedade em defesa das pessoas atingidas física, moral e psicologicamente. Acima do Coração, pássaros voando, em várias direções, representam a esperança, a liberdade conquistada pelos oprimidos e os anseios de justiça e combate a tão deprimente crime. Foi utilizada a técnica de computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 13 Arte: Daniel Effi – Correios Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 3,25 Tiragem: 900.000 selos Área de desenho: 20mm x 54mm Dimensão do selo: 25mm x 59mm Picotagem: 12 x 11,5 Data de emissão: 30/7/2015 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasil.

————————————————————–

Texto descritivo do Edital

Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas

Em seu Relatório Global sobre Tráfico de Pessoas, de 2014, o UNODC – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime – indicou que a cada três vítimas conhecidas de tráfico de pessoas, uma é criança, sendo que as meninas são 2 em cada 3 vítimas, que, em conjunto com as mulheres, representam 70% do tráfico total no mundo. Segundo dados do – UNODC, o tráfico de pessoas é uma das atividades criminosas mais lucrativas do mundo, movimentando, aproximadamente, 32 bilhões de dólares por ano.

Diante disso, o Brasil assumiu o compromisso de enfrentar essa questão por meio do Decreto Presidencial nº 5948/2006, que aprova a Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, documento que reflete os princípios propostos pelo Protocolo de Prevenção, Repressão e Punição do Tráfico de Pessoas, sob a perspectiva dos direitos humanos.

Tendo em vista o caráter transversal do tráfico de pessoas, a política nacional é pautada pela gestão estratégica e integrada, que exige o compromisso e a corresponsabilidade de diversos atores das áreas de direitos humanos, gênero, criança e adolescente, trabalho, saúde, educação, turismo, entre outros, além do engajamento da sociedade civil e dos poderes judiciário e legislativo.

Na perspectiva da prevenção ao tráfico de pessoas, o Brasil aderiu, em maio de 2013, à Campanha do Coração Azul, do UNODC, tendo como lema “Liberdade não se compra. Dignidade não se vende. Denuncie o Tráfico de Pessoas.”

Em novembro de 2013, a Assembleia Geral da ONU instituiu o dia 30 de julho como Dia Mundial de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Em julho de 2014, o UNODC e os Estados membros aderiram à Campanha Coração Azul, realizando naquela data, ações de grande visibilidade para o alerta contra o Tráfico de Pessoas em diversos países.

O Ministério da Justiça mobilizou ações nacionais, em conjunto com a rede de Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e os Postos Avançados de Atendimento Humanizado ao Migrante, bem como as organizações do Comitê Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – CONATRAP, para a 1ª Semana Nacional de Mobilização para o Enfrentamento a esse crime, no período de 28 de julho a 1º de agosto de 2014. Em 2015, a Semana de Mobilização ocorrerá de 27 a 31 de julho.

Ministério da Justiça
Secretaria Nacional de Justiça

————————————————————–

Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
13-edital

Edital 13 – 2015
Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial)

————————————————————–

Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Tráfico de Pessoas, crime organizado, luta contra o crime, ONU, eventos, coração, mãos, fauna..

————————————————————–

Peças Filatélicas
13-quadra
13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial)
Quadra com carimbo comemorativo de 1º dia de circulação13-FDC

13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial))
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)

13-envcirc
13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação

13-envreg
13 – Série América: Luta Contra o Tráfico de Pessoas
(Emissão Especial)
Envelope circulado, registrado, com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação

JOVEM APRENDIZ – REDUÇÃO DA EMISSÃO DE CO2

01r-selo01

01r – Série Sustentabilidade: Jovem Aprendiz e
Redução de Emissão de CO2
(Emissão Regular)
Jovem Aprendiz
01r-selo02
01r – Série Sustentabilidade: Jovem Aprendiz e
Redução de Emissão de CO2
(Emissão Regular)
Redução de Emissão de CO2
01r-carimbo01
01r – Série Sustentabilidade: Jovem Aprendiz e
Redução de Emissão de CO2
(Emissão Regular)
Jovem Aprendiz
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
01r – Série Sustentabilidade: Jovem Aprendiz e
Redução de Emissão de CO2
(Emissão Regular)
Jovem Aprendiz
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
Redução de Emissão de CO2
SOBRE OS SELOS

JOVEM APRENDIZ

O selo retrata, por meio do desenho de um jovem, características próprias da maioria dos participantes do Programa Jovem Aprendiz, pessoas que estudam, estão conectadas e, por meio do programa, adquirem competências básicas ao ingresso no mercado de trabalho de forma mais qualificada.

REDUÇÃO DA EMISSÃO DE CO2 A imagem do selo traz, em primeiro plano, o desenho de uma moto com a marca Correios e, também, uma tomada, caracterizando a inclusão das motos elétricas na frota da empresa. Ao fundo, o desenho de uma árvore representa que é possível exercer as atividades próprias do serviço postal com práticas sustentáveis. Foi utilizada a técnica de ilustração em vetor nas duas imagens.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 1 Arte: Míriam Guimarães – Corrreios Processo de Impressão: Rotogravura Folha: 30 selos Papel: Cuchê semi-brilho, autoadesivo Valor facial: Jovem Aprendiz: 1º Porte Carta Não Comercial Redução de Emissão de CO2: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: Ilimitada Área de desenho: Jovem Aprendiz: 21mm x 27mm Redução de Emissão de CO2: 27mm x 21mm Dimensão do selo: Jovem Aprendiz: 30mm x 36mm Redução de Emissão de CO2: 36mm x 30mm Picotagem: Semi-corte com a inscrição BR Data de emissão: 10/06/2015 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasil.

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
SÉRIE SUSTENTABILIDADE

Por meio da Série de selos dedicada à Sustentabilidade, os Correios divulgam duas de suas ações desenvolvidas corporativamente. Essas iniciativas colocam os Correios como importante agente de integração e inclusão social do País, bem como incentivador de ações promotoras das práticas sustentáveis. Assim, são apresentadas nos selos uma ação de cunho social – JOVEM APRENDIZ e outra de responsabilidade ambiental – REDUÇÃO DA EMISSÃO DE CO2.

JOVEM APRENDIZ

A aprendizagem, por meio da formação profissional metódica, visa proporcionar aos jovens as competências básicas fundamentais à sua inserção no mercado de trabalho, de forma mais qualificada, além de contribuir para a elevação da escolaridade e promoção da cidadania. As empresas de qualquer natureza, incluindo-se as públicas e sociedades de economia mista, são obrigadas a contratar aprendizes e matriculá-los em cursos de formação técnico-profissional metódica. O Programa Jovem Aprendiz dos Correios, foi implantado, nacionalmente, em 2011, de acordo com a Lei de Aprendizagem 10.097/2000, regulamentada pelo Decreto nº. 5.598/2005.

A seleção dos jovens é realizada por meio de edital público, considerando os aspectos legais e outros requisitos como a situação socioeconômica, educacional e de vulnerabilidade social dos candidatos. Os Correios contratam por tempo determinado os jovens aprovados para participar do programa e contam com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI para realizar a sua formação técnicoprofissional. A prática profissional na Empresa é acompanhada por empregados-orientadores previamente capacitados.

Mais de 12.000 jovens já foram contratados pelos Correios pelo Programa Jovem Aprendiz. As empresas que desenvolvem Programas de Aprendizagem ampliam as oportunidades de trajetória profissional diferenciada aos jovens frente às exigências do mercado de trabalho, com reflexos sociais e produtivos.

REDUÇÃO DA EMISSÃO DE CO2

A liberação do Dióxido de Carbono (CO2) na atmosfera terrestre é a maior responsável pelo aumento do aquecimento global, fenômeno conhecido como efeito estufa. Aproximadamente, 77% do CO2 emitido no planeta decorrem das atividades humanas, conforme dados do Painel Intergovernamental de Mudanças do Clima (IPCC).

Para executar os serviços oferecidos pelas empresas do setor postal utiliza-se um grande número de veículos motorizados, atividade que emite quantidade significativa de gás carbônico (CO2) na atmosfera. Visando promover melhoria contínua em relação ao desempenho ambiental e contribuir na solução desse desafio, imprescindível à saúde das pessoas e garantia da qualidade de vida no planeta, os Correios, por meio do Sistema de Gestão Ambiental, desenvolvem práticas de cunho sustentável, a fim de reduzir a emissão de CO2.

Além do uso de biocombustível (etanol) nos veículos motorizados, os Correios utilizam bicicletas nas entregas de objetos e correspondências. Mais recentemente, a empresa adquiriu motos elétricas para a composição de sua frota.
01r-logo

————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
01r-edital
Edital 01 – 2015
Série Sustentabilidade: Jovem Aprendiz e
Redução de Emissão de CO2
(Emissão Regular)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Sustentabilidade, profissões, educação profissional, emissões CO², transportes, veículos.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão preparadas peças filatélicas com base nos selos, carimbos, envelopes e cartões-postais.

————————————————————–

Encontro de Colecionadores FILACAP 2015

Neste ano o tradicionalíssimo Encontro de Colecionadores FILACAP 2015 acontecerá em Cachoeira Paulista/SP, nas instalações do Centro Cultural “Gertrud Schubert dos Santos”, de 15 a 19 de agosto de 2015.

O evento comemora os 40 anos de circulação do jornal FILACAP e tem como objetivo a divulgação do Colecionismo como uma das atividades culturais mais praticadas em todo o mundo. .

A abertura da Feira de Colecionadores e a da 13ª Exposição Filatélica da Cachoeira Paulista – EXFICAP 2015 acontece no dia 15. A Feira vai até o dia 16, já a exposição se encerra no dia 19.

O horário da visitação, com entrada franca, é das 09h00 às 17h00.

Mais detalhes podem ser consultados no cartaz de divulgação do Encontro:
85-01Nossos votos de que o Encontro ocorra com o habitual sucesso e brilhantismo e nossos cumprimentos pelo trabalho e dedicação de seus organizadores.

Quadrilhas Juninas – Dança (Emissão Especial)

12-selos

Quadrilhas Juninas – Dança
(Emissão Especial)
edital_quadrilhas.indd
Quadrilhas Juninas – Dança
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Os selos apresentam cenas típicas das festas juninas, com casais executando a quadrilha, considerada o ponto alto das comemorações dedicadas a Santo Antonio, São João e São Pedro. Originária da dança palaciana europeia, a quadrilha junina, curiosamente, é conhecida como uma dança de camponeses. O artista destacou os movimentos dos dançarinos, as coreografias, os músicos e seus instrumentos, e o tradicional casamento matuto, inseridos em espaço decorado com bandeirolas e lanternas chinesas. Complementando cada selo, a fogueira acesa simboliza o calor e a luz tradicionais do período junino. Os desenhos foram executados sobre papel Canson e coloridos com aquarela e lápis de cor.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 12 Arte: Jô Oliveira Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos, sendo 6 quadras Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 1,80 cada selo Tiragem: 1.800.000 selos Área de desenho: 33mm x 33mm Dimensão do selo: 38mm x 38mm Picotagem: 11,5 x 11,5 Data de emissão: 1º/06/2015 Local de lançamento: Amargosa/BA, Aracaju/SE, Boa Vista/RR, Campina Grande/PB, Caruaru/PE, Fortaleza/CE, Maceió/AL, Mossoró/RN, Palmas/TO, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC e Teresina/PI Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
QUADRILHAS JUNINAS – DANÇA
Coreografia e ritmo genuinamente brasileiros

A quadrilha brasileira tem sua origem em uma dança de salão francesa, executada por quatro pares, a quadrille. Foi introduzida no Brasil no início do Século XIX, com a vinda da Corte Real Portuguesa e com várias missões culturais francesas, que, na mesma época, estiveram no País.

Desde então, o Brasil modernizou-se, progrediu e passou a ter quadrilhas juninas na maioria dos municípios brasileiros. Do menor município à capital mais populosa da Nação, as quadrilhas se apresentam nas comemorações a São João.

Há muitos anos, dançar quadrilha deixou de ser uma simples manifestação da cultura popular. A Confebraq – Confederação Brasileira de Entidades Juninas e suas filiadas vivenciam, a cada ano, novos, atraentes e desafiadores cenários, fomentando as manifestações juninas de norte a sul. Durante todo o ano as quadrilhas ocupam um importante espaço na sociedade e na economia do Brasil.

Resgatando a cultura popular e atenta às transformações sociais, as quadrilhas juninas se adaptaram às áreas urbanas, desenvolvendo atividades socioculturais aderentes à cidadania de milhares de jovens em todo Brasil, que passam a frequentar as arenas de ensaios de forma quase que religiosa.

Atualmente, milhares de pessoas em todo Brasil desenvolvem atividades ligadas às quadrilhas juninas. São dançarinos, atores, músicos, artistas plásticos, teatrólogos e artesãos de vários ofícios.

Com coreografias bem elaboradas, figurinos belíssimos, coloridos e requintados, e repertório musical típico das Festas Juninas, os praticantes das Quadrilhas promovem verdadeiros espetáculos por onde se apresentam, emocionando o público com suas manifestações de alegria, de cores e ritmos.

A Confebraq busca, por meio da cultura junina, apresentar um Brasil plural e multifacetado, com manifestações originais e inovadoras, que ora se contrastam ora se complementam, sempre fiel aos fundamentos das festas dedicadas aos santos comemorados no mês de junho, por isso mesmo chamadas de juninas.

Com a emissão dedicada às quadrilhas juninas, os Correios, em parceira com a Confebraq, homenageiam essa dança extremamente popular e tradicional, que encanta por suas coreografias, cores e ritmos genuinamente brasileiros.

CONFEBRAQ
Confederação Brasileira de Entidades Juninas
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

edital_quadrilhas.indd

Edital 12 – 2015
Quadrilhas Juninas – Dança
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Quadrilhas juninas, danças típicas, dança, religião, folclore.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

Série Relações Diplomáticas: Brasil – Azerbaijão (Emissão Especial)

11-selos

Série Relações Diplomáticas: Brasil – Azerbaijão
(Emissão Especial)11-carimbo
Série Relações Diplomáticas: Brasil – Azerbaijão
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Os selos foram concebidos a partir de fotografias das Praças representativas dos países destacados na Série Relações Diplomáticas – Brasil e Azerbaijão. O Brasil é representado pela Praça dos Três Poderes, onde encontra-se destacado o mastro, no qual a Bandeira, permanentemente hasteada, assume sua posição de símbolo da Pátria. Outros elementos compõem o cenário, por onde turistas transitam diariamente. O céu azulado, característico de Brasília, evoca a nobreza da Praça, numa reverência à República brasileira, representada pelo brasão no canto superior direito do selo. O selo do Azerbaijão, cujo brasão da República encontra-se no canto superior esquerdo, destaca a Praça da Bandeira Nacional, com seu mastro de 162 metros, reconhecido pelo Guinness World Records, em 2010, como o mais alto do mundo, em cujo topo é hasteada a Bandeira. O complexo monumental da Praça, situado às margens do Mar Cáspio, torna-se ainda mais imponente pela presença do Museu Nacional da Bandeira. A Praça desempenha um papel importante na vida social e política do país, especialmente por ostentar a Bandeira que é vista de qualquer parte da capital Baku. Foram utilizadas as técnicas de fotografia e computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 11 Fotos: José Almeida e Vugar Fakhraddin oglu Ibadov Processo de Impressão: ofsete Folha: 30 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 3,45 cada selo Tiragem: 900.000 selos Área de desenho: 35mm x 25mm Dimensão do selo: 40mm x 30mm Picotagem: 11,5 x 12 Data de emissão: 27/05/2015 Local de lançamento: Brasília/DF Peça Filatélica: Envelope de 1º dia de circulação Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Série Relações Diplomáticas: Brasil – Azerbaijão

Localizado entre o Oriente e o Ocidente, o Azerbaijão orgulha-se de sua história antiga e rica. O nascimento da República Democrática do Azerbaijão, em 1918, tornou-se uma das páginas gloriosas da história da nação azerbaijana.

Em 28 de maio de 1918, o Azerbaijão independente surgiu como a primeira democracia secular no mundo muçulmano, e, em 9 de novembro de 1918, o Governo da República Democrática do Azerbaijão adotou uma resolução sobre a Bandeira Nacional.

A democracia recém-estabelecida foi derrubada, em 1920, pela ocupação Soviética. No entanto, durante sua curta vida essa República tornou-se o símbolo da identidade azerbaijana e das aspirações nacionais.

Em 17 de novembro de 1990, sob a liderança de Heydar Aliyev, Líder Nacional do Azerbaijão, na sessão do Conselho Supremo da República Autônoma de Nakhchivan, a bandeira foi restaurada e proclamada a oficial da mesma República. Ao mesmo temopo foi solicitado ao Conselho Supremo da República Soviética do Azerbaijão reconhecer a bandeira tricoloar com a bandeira oficial da Nação, fato que se concretizou em 5 de fevereiro de 1991.

Hoje, o povo do Azerbaijão, que restaurou a sua independência, em 1991, orgulha-se profundamente da sua Bandeira Nacional, que tem três faixas horizontais. A faixa de cima é azul, a do meio é vermelha e a de baixo é verde. A cor azul significa a origem túrquica da sociedade, a vermelha reflete a modernização e o desenvolvimento da democracia e, a verde, mostra a aderência à civilização islâmica. No meio da faixa vermelha de ambos os lados da bandeira encontra-se um crescente branco e uma estrela de oito pontas.

A Praça da Bandeira Nacional, em Baku, a capital da República do Azerbaijão, foi estabelecida de acordo com a Ordem n.º 2504, de 17 de novembro de 2007, do Presidente da República do Azerbaijão, Ilham Aliyev. Dois anos depois, em 17 de novembro de 2009, foi estabelecido o Dia da Bandeira Nacional que, desde então, anualmente, passou a ser comemorado no dia 9 de novembro.

Localizada no calçadão (boulevard) de Baku, a Praça foi fundada em 30 de dezembro de 2007 e inaugurada oficialmente em 1º de setembro de 2010, quando ocorreu o hasteamento da Bandeira e áreas para recreação, esporte e lazer. A altura do mastro é de 162 metros, reconhecido pelo Guinness World Records, em 29 de maio de 2010, como o mais alto do mundo. A bandeira mede 35 metros de largura por 70 metros de comprimento, totalizando 2.450 m², e pesa 350 Kg, sendo vista de qualquer parte de Baku.

O complexo monumental torna-se ainda mais importante pela presença dos símbolos do Estado e com o Museu Nacional da Bandeira, com exposições valiosas sobre a história antiga e a moderna do Estado. O Pedestal de 5 metros de altura simboliza a estrela de oito pontas, tendo ao seu redor o mapa do Azerbaijão, a letra do hino nacional e o brasão de armas. A Praça desempenha um papel importante na vida social e política do país, de significativo valor histórico para as gerações futuras.

O Azerbaijão e o Brasil mantêm valiosos laços bilaterais que, a cada ano, se estreitam em várias áreas. Os selos da Série Relações Diplomáticas: Brasil-Azerbaijão) destacam os significados cívicos, históricos e arquitetônicos de duas importantes Praças, representando a amizade e a cooperação entre os dois países.

Elnur Sultanov
Embaixador da República do Azerbaijão no Brasil
A Praça dos Três Poderes – no coração de Brasília – Brasil

Idealizada por Lúcio Costa e projetada por Oscar Niemeyer, a Praça dos Três Poderes é um amplo espaço cívico, que integra o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal, sedes dos Três Poderes da República – o Legislativo, o Executivo e o Judiciário.

Na ampla Praça encontram-se esculturas de grande significado artístico e cívico, que encantam turistas de todas as partes do mundo. A escultura “Os Guerreiros”, também conhecida como “Os Dois Candangos”, de autoria de Bruno Giorgi, é considerada um símbolo de Brasília. Em frente ao prédio do Supremo Tribunal Federal, vê-se a escultura “A Justiça”, de Alfredo Ceschiatti, que sugere reflexões sobre a importância da Justiça em defesa da sociedade. Além destas, outras obras povoam a Praça, como: a cabeça do fundador da cidade, Juscelino Kubitscheck, escultura presente na fachada do Museu Histórico de Brasília; o Pombal, com formas modernistas; a Pira da Pátria, uma construção que abriga no topo uma tocha permanentemente acesa; o Marco Brasília, escultura comemorativa do ato da UNESCO, que declarou Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade; e o Mastro da Bandeira, um monumento de Sérgio Bernardes, de cem metros de altura, que tem a Bandeira Nacional, com 286m², permanentemente hasteada, sendo substituída todo primeiro domingo de cada mês, em cerimônia solene.

Espaços importantes impressionam por seud significados e iconografia histórica, como: O Panteão da Patria construído em homenagem ao presidente Tancredo Neves; o Espaço Lúcio Costa, situado sob o piso da Praça, onde se vê uma maquete de Brasília, com 179 metros quadrados; e o Espaço Oscar Niemeyer, localizado na parte posterior da Praça oedificação cilíndrica, onde se econtram desenhos e fotos representativos da obra do arquiteto construtor de Brasília. A Praça dos Três Poderes é considerada um Espaço Cultural a céu aberto, de 120 x 220 m, de forte aderência aos valores da República, do qual a sociedade brasileira orgulha-se de contemplá-lo e de mostrá-lo aos visitantes da Capital do Brasil.

————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
download.php
Edital 11 – 2015
Série Relações Diplomáticas: Brasil – Azerbaijão
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Relações diplomáticas, simbolos nacionais, bandeiras, praças, monumentos, história, geografia.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

Abelhas Brasileiras Melíponas – Abelhas sem ferrão

10-bloco

Abelhas Brasileiras Melíponas – Abelhas sem ferrão
(Emissão Especial)

10-carimbo

10 – Abelhas Brasileiras Melíponas – Abelhas sem ferrão
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE A MINIFOLHA

A Minifolha apresenta seis espécies de abelhas melíponas (sem ferrão) presentes no território brasileiro: Melipona quinquefasciata (Uruçu do Chão), Melipona rufiventris (Uruçu Amarela), Melipona subnitida (Jandaíra), Nannotrigona testaceicornis (Iraí), Paratrigona lineata (Jataí da Terra) e Plebeia flavocincta (Jatí). A partir das características anatômicas e do habitat de cada uma dessas espécies de abelhas melíponas foi produzida a imagem da minifolha com os respectivos selos, de modo a conciliar, harmoniosamente, as abelhas em meio à natureza. O título da emissão é exibido na parte superior da peça, e, no canto inferior direito, é divulgada a Exposição Filatélica London 2015. Foram utilizadas as técnicas de quadricromia (CMYK) com aplicação serigráfica de verniz aromático e computação gráfica combinando recursos de softwares vetoriais e pintura digital.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 10 Arte: José Carlos Braga Processo de Impressão: ofsete + resina aromática Folha: 6 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 2,50 cada selo Tiragem: 720.000 selos Área de desenho: 40mm x 30mm Dimensão do selo: 40mm x 30mm Picotagem: 12 x 11,5 Data de emissão: 22/5/2015 Locais de lançamento: Curitiba/PR, Fortaleza/CE, Mossoró/RN, Poços de Caldas/MG, Porto Alegre/RS e Teresina/PI Peça Filatélica: Cartão-postal Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Abelhas Brasileiras Melíponas – Abelhas sem Ferrão

Os Correios destacam, nesta emissão inédita, a importância e a originalidade das abelhas melíponas brasileiras, apresentando seis espécies consideradas relevantes para a preservação do equilíbrio ecológico e a exploração sustentável da meliponicultura.

Melipona quinquefasciata Lepeletier, 1836

Melipona quinquefasciata Lepeletier, 1836

Esta espécie do gênero Melipona (Apidae, Meliponini) é conhecida por nidificar no chão. Os ninhos de Melipona quinquefasciata têm populações de várias centenas de indivíduos. A distribuição sobre o território brasileiro é extenso, ocorrendo do Estado do Paraná ao Ceará. A população local conhece esta abelha como “uruçu-do-chão” ou “mandaçaia-do-chão”.

Um elemento típico e importante na estratégia de coletar pólen das flores pelas espécies do gênero Melipona é o uso da técnica de vibração das anteras das flores. O pólen destas flores não está exposto, mas armazenado dentro das anteras, e só pode escapar através de um pequeno furo, por meio de vibrações. As abelhas produzem estas vibrações quando contraem as asas. O som resultante se chama “buzzing”, o que gerou o nome deste tipo de polinização: “buzz-pollination”.

O mel, armazenado dentro dos ninhos, é muito procurado, e, por isso, esses ninhos são caçados intensamente. A caça por meleiros e a destruição do habitat são as causas principais de ameaça desta espécie nativa. No Estado do Paraná, a M. quinquefasciata está na lista de espécies ameaçadas de extinção.

Melipona rufiventris Lepeletier, 1836

Melipona rufiventris (Apidae, Meliponini) ou “uruçu amarela”, tem colônias de até uns poucos milhares de abelhas. Ela tem sua distribuição concentrada nos ecossistemas de Mata Atlântica e no Cerrado do Estado de São Paulo ao Piauí. O tamanho dos indivíduos e das colônias é muito parecido com o da espécie M. scutellaris ou “uruçu verdadeira”. A rainha pode botar algumas dezenas de ovos por dia e, por isso, sobre condições ideais, produz muitas crias. Com uma população relativamente grande, uma colônia individual de M. rufiventris armazena bastante mel. Como consequência, esta abelha é muito criada por meliponicultores, e seu mel é comercializado.

Em geral, as abelhas sem ferrão produzem pouco mel quando comparadas com asApis mellifera ou abelha europeia/africanizada, porque têm populações bem menores, e, por isso, menos indivíduos disponíveis para buscar e carregar recursos florais. Alguns méis de abelhas sem ferrão são conhecidos pelo seu valor medicinal, tendo um preço alto no mercado. No Estado de Minas Gerais, a M. rufiventris está na lista de animais ameaçados de extinção, haja vista a caça ilegal e a destruição do seu habitat.

Melipona subnitida Ducke, 1910

Melipona subnitida (Apidae, Meliponini) ou “jandaíra” é uma abelha sem ferrão, de mais ou menos 1,2 centímetros de comprimento, sendo nativa da região da caatinga, no nordeste do Brasil. É muito conhecida por causa do seu fácil manejo e da produção de mel de boa qualidade. Pertence ao gênero Melipona, um grupo de mais ou menos 70 espécies exclusivamente neotropicais (América do Sul, América Central e sul do México). Foi descrita, pela primeira vez, em 1910, por Adolpho Ducke.

Colônias de jandaíra são relativamente pequenas, com até algumas centenas de indivíduos, e produzem uma cera escura marrom. Antigamente, as pessoas usavam esta cera para vedar recipientes de alimento. Uma vez por ano, uma única caixa de criação ou caixa nordestina, pode produzir até um litro de mel. Um hábito bastante comum é a criação de jandaíra dentro dos perímetros de cidades nordestinas.

As plantas não só servem para abastecer colônias de abelhas com pólen e néctar, mas, também, seus ocos podem servir como abrigos. As colônias ferais (silvestres) de jandaíra habitam, principalmente, os troncos das árvores, em especial, da imburana (Commiphora leptophloeos) e da catingueira (Caesalpinia pyramidalis). Em alguns lugares do nordeste também nidificam em ninhos de cupim.

Nannotrigona testaceicornis Lepeletier, 1836

Esta abelha sem ferrão (Apidae, Meliponini), também conhecida como “iraí”, é muito comum perto de aglomerações habitacionais. Neste caso, nidifica entre tijolos, perto ou dentro do chão. Muitas vezes existe um espaço entre a camada externa do ninho e o substrato no qual vivem formigas, aparentemente em harmonia mútua com as abelhas. Seu gênero está distribuído na América do Sul e Central, mas, no Brasil, a ocorrência de N. testaceicornis se restringe do Estado do Rio Grande do Sul à Bahia. N. testaceicornis é uma abelha fácil de manejar, produz pouco mel, porém, de boa qualidade.

Levantamentos sobre relações abelhas-plantas mostram que abelhas sem ferrão, em geral, são generalistas no uso de recursos. Visitam um número amplo de espécies e famílias de plantas. Através das suas visitas nas flores as abelhas sem ferrão proporcionam polinização, a transferência de pólen de uma flor para outra, o que resulta em sementes e frutas.

Paratrigona lineata Lepeletier, 1836

Paratrigona lineata (Apidae, Meliponini) é uma pequena abelha indígena, que ocorre do Estado do Paraná ao Maranhão. É uma das espécies de abelha sem ferrão que nidifica no chão e mede 4 milímetros de comprimento. O ninho, com uma única rainha e centenas de operárias, fica algumas dezenas de centímetros abaixo da terra. Um pequeno túnel conecta o ninho com o ambiente externo. Ao anoitecer, operárias guardas fecham a entrada usando o mesmo material para proteger o ninho contra invasores durante a escuridão. Outros aspectos da biologia desta espécie são pouco conhecidos.

Como outras abelhas sem ferrão, os indivíduos da espécie P. lineata vivem em grupos permanentes, se alimentam de pólen e néctar das flores e estocam estes recursos naturais no interior de seus ninhos. As operárias constroem potes grandes de cera para armazenar o alimento e empregam células menores, também feitas de cera, para procriar. Não se costuma domesticar esta espécie de abelha sem ferrão porque a sua produção de mel é muito pequena.

Plebeia flavocincta Cockerell, 1912

Plebeia flavocincta é uma abelha sem ferrão, pequena, de alguns milímetros de comprimento, que ocorre nas caatingas do Estado da Bahia ao Piauí. Como as outras espécies, coleta pólen e néctar nas flores. Também coleta suor humano, revelando sua necessidade de sais minerais.

Suas colônias são formadas por até várias centenas de operárias e uma única rainha. Como outras abelhas sem ferrão, as células verticais de cria são construídas em favos horizontais. As rainhas são criadas em células maiores, chamadas células reais. Estas células são construídas nas margens dos favos.

Ninhos de P. flavocincta foram encontrados nas árvores de Caesalpinia pyramidalisou “catingueira”. Aliás, esta árvore é um recurso importante de nidificação para muitos outros meliponídeos. As abelhas sem ferrão permanecem por muito tempo num mesmo local, até dezenas de anos, e, irregularmente, fazem um enxame. Por isso, o corte de árvores adultas pode ter um efeito devastador sobre a sobrevivência e a reprodução colonial (silvestre) das abelhas sem ferrão.

Dirk Koedam (Professor Visitante)
Departamento de Ciências Animais
Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)
10-edital
Edital 10 – 2015
Abelhas Brasileiras Melíponas – Abelhas sem ferrão
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Abelhas, abelhas sem ferrão, fauna, flora, mel, apicultura, alimentação, fauna em extinção, exposições filatélicas, Exposição Filatélica London 2015.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon

08-selos

150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
(Emissão Comemorativa)

08-folha

150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
(Emissão Comemorativa)
Folha de selos

08-carimbo

150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
(Emissão Comemorativa)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação

08-carimbopre

150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
(Emissão Comemorativa)
Carimbo comemorativo de Pré-lançamento
SOBRE OS SELOS

Os pilares da vida e obra do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon são destacados nos selos que marcam os 150 anos do seu nascimento. O primeiro selo faz referências a sua fase de sertanejo, mostrando a casa onde foi criado. O segundo selo, à direita, destaca a Escola Militar da Praia Vermelha e um folheto da Igreja Positivista, instituições fundamentais na formação do homenageado. Os três selos seguintes complementam a cronologia de sua obra, demonstrando a sua importância para as comunicações, cujo trabalho foi marcado pela proteção aos índios e pelo desbravamento do interior do Brasil. No último selo, a fase militar, onde se vê o carro utilizado durante a inspeção de fronteiras, a insígnia de Marechal, e Rondon com seu uniforme de gala. A técnica utilizada foi a computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 8 Arte-finalização: Lidia Marina Hurovich Neiva – Correios Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos, sendo quatro sextilhas Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 2.400.000 selos Área de desenho: 40mm x 30mm Dimensão do selo: 35mm x 25mm Picotagem: 11,5 x 12 Pré-lançamento: 4/5/2015 Local de pré-lançamento: Brasília/DF Data de emissão: 5/5/2015 Locais de lançamento: Brasília/DF, Cuiabá/ MT, Marechal Cândido Rondon/PR, Porto Velho/RO, Rio de Janeiro/RJ, Santo Antônio de Leverger/MT e São Paulo/SP Peça Filatélica: Envelope de 1º dia de circulação Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
150 anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
“Heróis são símbolos poderosos, encarnações de ideais e aspirações, pontos de referência, fulcros de identificação coletiva.” (José Murilo de Carvalho).

Em 5 de maio de 1865, na Sesmaria do Morro Redondo, em Mimoso, no estado do Mato Grosso, nasceu Cândido Mariano da Silva Rondon, filho de Cândido Mariano da Silva e Claudina de Freitas Evangelista da Silva. Perdeu os pais muito cedo, e foi criado em Cuiabá, pelo tio, de quem herdou o sobrenome “Rondon”.

Em dezembro de 1864, seis meses antes de seu nascimento, iniciavam-se os primeiros combates do maior conflito armado da América Latina, a Guerra da Tríplice Aliança, que levaria brasileiros, argentinos e uruguaios a terçar lanças com as tropas invasoras paraguaias de Solano Lopez.

Foi nesse turbilhão de eventos políticos e de embates de heróis como Caxias, Osório, Sampaio, Mallet, Villagran, Severiano da Fonseca, Antônio João e tantos outros, que nasceu o futuro Patrono das Comunicações, reconhecido como construtor de linhas telegráficas, protetor dos indígenas e explorador que, ao todo, percorreu mais de 100.000 quilômetros de sertão, através de picadas na floresta, caminhos, estradas e rios.

Órfão, oriundo de uma família de poucas posses, optou pela carreira militar, incorporado como soldado, em 1881, no 3º Regimento de Artilharia a Cavalo, em Cuiabá. Como outros jovens, num Brasil de raras oportunidades de ascensão social, viu no Exército a perspectiva de construir seu futuro, ingressando, dois anos depois, na Escola Militar da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro.

Em 1886, entrou para a Escola Superior de Guerra, participando ativamente do movimento pela Proclamação da República. Fez o curso do Estado Maior de 1ª Classe, sendo promovido a alferes, em 1888. Graduou-se em Matemática e em Ciências Físicas e Naturais, destacando-se nos movimentos abolicionista e republicano. Em 1889, participou da construção das Linhas Telegráficas de Cuiabá, assumindo a chefia do distrito telegráfico de Mato Grosso. Foi nomeado professor de Astronomia e Mecânica da Escola Militar, cargo do qual se afastou em 1892. Entre 1900 e 1906, dirigiu a construção de mais uma linha telegráfica, entre Cuiabá e Corumbá, alcançando as fronteiras do Paraguai e da Bolívia.

Em 1907, teve início a Comissão Rondon, sua obra mais importante, com a construção da linha telegráfica de Cuiabá a Santo Antônio do Madeira. Foi a primeira a alcançar a região amazônica. Nessa mesma época estava sendo feita a ferrovia Madeira-Mamoré, que, juntamente com a Comissão Rondon, favoreceu a ocupação e a integração do que hoje é o estado de Rondônia. Foram realizados levantamentos cartográficos, topográficos, zoológicos, botânicos, etnográficos e linguísticos da região percorrida nos trabalhos de construção das linhas telegráficas. Por sua contribuição, recebeu homenagens e condecorações de várias instituições científicas do Brasil e do exterior.

“A construção da linha telegráfica foi o pretexto. A atividade de exploração cientifica foi tudo”, disse o antropólogo Edgard Roquette-Pinto. Convidado pelo governo brasileiro para ser o primeiro diretor do Serviço de Proteção aos Índios e Localização dos Trabalhadores Nacionais (SPI), criado em 1910, Rondon foi incansável defensor dos povos indígenas do Brasil. Dessa luta ficou famosa a sua frase: – “Morrer, se preciso for; matar, nunca.”

Entre 1º de outubro de 1924 e 12 de junho 1925, exerceu o comando das tropas legalistas que recalcaram os tenentes rebelados (Tenentismo), liderados pelo General Isidoro Dias Lopes, em Santa Catarina e Paraná, até as barrancas do rio Paraná. Foi diretor de Engenharia do Exército e, após sucessivas promoções, chegou a general-de-divisão. Em 1930, solicitou sua passagem para a reserva do Exército. Nos anos 40 tornou-se presidente do Conselho Nacional de Proteção aos Índios (CNPI), cargo em que permaneceu por vários anos.

O reconhecimento da obra de Rondon extrapolou as fronteiras do Brasil. Teve a glória de ter seu nome escrito em letras de ouro maciço no Livro da Sociedade de Geografia de Nova Iorque, como o explorador que penetrou mais profundamente em terras tropicais, ao lado de outros imortais como Peary e Amundsen, descobridores dos polos Norte e Sul; e Charcot e Byrd, exploradores que mais profundamente penetraram em terras árticas e antárticas.

Em 1955, o Congresso Nacional conferiu-lhe a patente de marechal, e, no ano seguinte, o então Território Federal de Guaporé, passou a ser chamado de Rondônia em homenagem ao seu desbravador. Faleceu, no Rio de Janeiro, em 19 de janeiro de 1958, aos 92 anos.

A tenacidade, a dedicação, a abnegação e o altruísmo, atributos marcantes de sua personalidade, o fizeram merecedor, com indiscutível justiça, do título de Patrono da Arma de Comunicações do Exército Brasileiro, sendo sua data natalícia tomada como o Dia Nacional das Comunicações.

General de Brigada
CARLOS ROBERTO PINTO DE SOUZA
Comandante de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

08-edital

Edital 8 – 2015
150 Anos de Nascimento do Marechal Cândido
Mariano da Silva Rondon
(Emissão Comemorativa)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

História, geografia, personalidades, transportes, comunicações, telégrafos, políticas indígenas..

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

 

Salário Mínimo Digno: valorize esse direito!

07-selo

7 – Salário Mínimo Digno: valorize esse direito!
(Emissão Especial)

07-carimbo

7 – 25 Anos da AICEP – Associação Internacional
das Comunicações de Expressão Portuguesa
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE O SELO

O selo destaca o Salário Mínimo como um valor de referência, representado à direita, na parte superior, pelo símbolo da moeda nacional, o Real. Na faixa central, vê-se a família do trabalhador ou da trabalhadora, amparada pelos benefícios de um Salário Mínimo digno, capaz de provê-la de seus direitos básicos, referenciados por ícones representativos de alimentação, saúde, educação, moradia e transporte. O fundo do selo assemelha-se a uma cédula em circulação no Brasil, remetendo à busca permanente de valorização dos direitos de cada cidadão, e ao enfrentamento às diversas formas de desigualdades socioeconômicas.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 7 Arte: Ariadne/Meik Processo de Impressão: ofsete Folha: 30 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 1.800.000 selos Área de desenho: 39mm x 21mm Dimensão do selo: 44mm x 26mm Picotagem: 11 x 11,5 Data de emissão: 30/04/2015 Local de lançamento: Brasília/DF e São Paulo/SP Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Salário Mínimo Digno: valorize esse direito!

O Salário Mínimo (SM) é um importante instrumento de política distributiva, por força da lei ou de contratação coletiva. É o menor valor que deve ser pago aos trabalhadores como remuneração pelo tempo e esforço despendidos na produção de bens ou na execução de serviços, em determinados período e região.

Tem como objetivo estabelecer um padrão de remuneração, garantindo, assim, as condições básicas de vida para o trabalhador e sua família. Conforme a OIT – Organização Internacional do Trabalho, a função primordial do Salário Mínimo é proteger os trabalhadores que estão na base da hierarquia salarial.

Criado pela Constituição Federal de 1934, o Salário Mínimo (SM) tinha como objetivo inicial atender apenas a algumas necessidades dos trabalhadores. A Constituição de 1946 passou a considerar que o SM deveria abarcar também as despesas da família do trabalhador, princípio reafirmado nas demais Constituições. Já na Constituição de 1988, foi incluída, de modo explícito, uma estrutura mais completa de necessidades básicas a serem cobertas.

Depois de largo período de desvalorização, inclusive como política social, graças a uma ação sindical conjunta, o Salário Mínimo começou a passar por um processo de revalorização. Em 2006, com a instituição da Comissão Tripartite do Salário Mínimo, composta por representantes do governo, trabalhadores e empregadores, foi estabelecida uma política de valorização gradual e real do Salário Mínimo, com vigência até 2023. Transformada em lei, Nº 12.382/2011, a política prevê o reajuste, pela inflação acumulada desde o último reajuste, e aumento real, em valor correspondente à variação do PIB de dois anos anteriores. No entanto, a vigência estabelecida na referida lei é janeiro de 2015, ainda que a política de valorização em si esteja prevista para seguir até 2023.

A política de valorização foi muito positiva, pois permitiu a elevação real do poder aquisitivo de grande número de brasileiros, ampliou o mercado consumidor e viabilizou melhorias nas condições de vida da população, como a possibilidade de prolongar a formação educacional dos jovens. Contribuiu, ainda, para reduzir a desigualdade de renda no País, mesmo que os problemas sociais sejam uma realidade.

O processo de valorização do Salário Mínimo precisa ter continuidade a fim de que a Constituição ganhe vida e efetividade, conduzindo o Brasil a patamares crescentes de justiça social e desenvolvimento.

Com esta emissão de selo, em parceria com o DIEESE, os Correios registram a importância do Salário Mínimo no Brasil e a necessidade de valorizá-lo.

DIEESE
Departamento Intersindical de Estatística e Estudos
Socioeconômicos
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

07-edital

Edital 7 – 2015
Saslário Mínimo digno: valorize esse direito!
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Politicas salariais e sociais, economia, trabalhador, trabalho, necessidades básicas, saúde, educação, alimentação, moradia e transporte.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

25 Anos da AICEP – Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (Emissão Especial)

06-selo
6 – 25 Anos da AICEP – Associação Internacional
das Comunicações de Expressão Portuguesa
(Emissão Especial)

06-carimbo

6 – 25 Anos da AICEP – Associação Internacional
das Comunicações de Expressão Portuguesa
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE O SELO

O selo destaca a marca dos 25 anos da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa – AICEP. Ao centro, o logotipo representa as três vertentes da comunicação – postal, telecomunicação e de conteúdos (televisão) – que se entrelaçam, convergem e se completam, reforçando e consolidando, assim, o papel da Associação, cada vez mais inclusiva das várias áreas das Comunicações no Mundo da Lusofonia, em benefício das atividades de cooperação para o desenvolvimento dos seus membros. Abaixo do logo, a inscrição referente aos 25 Anos da AICEP. Na lateral esquerda faixas coloridas reproduzem as cores das bandeiras dos países e territórios afiliados, no sentido vertical e no horizontal, representando os dois eixos em que se estruturam as várias vertentes das comunicações e a Língua Portuguesa, consideradas objetivos da AICEP. Foi utilizada a técnica de computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 6 Arte: AF Atelier Processo de Impressão: ofsete Folha: 30 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 3,15 Tiragem: 600.000 selos Área de desenho: 25mm x 35mm Dimensão do selo: 30mm x 40mm Picotagem: 11 x 11,5 Data de emissão: 27/4/2015 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasill

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
25 Anos da AICEP – Emissão Conjunta da Lusofonia

Constituída em 1990, a AICEP é uma associação internacional, científica e técnica, de caráter não governamental e sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o estreitamento das relações entre seus membros, de modo a contribuir para a harmonização, desenvolvimento e modernização das comunicações dos países de língua portuguesa.

Na altura, foi visionária quando integrou no seu seio os Operadores de Comunicações, independentemente de serem postais ou de telecomunicações, demonstrando uma clara perspectiva de convergência e complementariedade entre as duas vertentes do setor. Foi visionária também quando congregou os seus membros, não por critérios geográficos, mas, sim pela proximidade da língua e das culturas.

A AICEP inovou quando considerou que no desenvolvimento das Comunicações a relação entre Operadores e Reguladores é muito forte, complexa e interativa, e que estes são órgãos distintos, mas também complementares do mesmo corpo das Comunicações.

Acompanhando o natural dinamismo e o desenvolvimento estratégico do setor das comunicações, nomeadamente nas telecomunicações, o qual nos tempos de hoje, não se pode dissociar dos conteúdos, e continuando a inovar, a AICEP incorporou ao seu seio, em maio de 2013, os “conteúdos” (televisão), reforçando e consolidando, assim o seu papel de Associação representativa e cada vez mais alusiva das várias áreas das comunicações no mundo da Lusofonia.

A AICEP é, pois, um espaço de convergência dos parceiros do setor das comunicações, única associação mundial que agrega Correios, Telecomunicações, Conteúdos e Reguladores com a missão de promover e apoiar o desenvolvimento sustentável das comunicações da Lusofonia.

Com extensos planos de formação e cooperação para o desenvolvimento, a AICEP, atualmente presidida pelos CTT – Correios de Portugal, que tenho a honra de representar, agrega, assim, as comunicações em língua portuguesa, e a estrutura em torno de dois eixos fundamentais: as Comunicações e a Língua.

Desta forma, pela importância que assume a AICEP em todo o mundo lusófono, não só pelo passado que nos ilustra, mas, também, nas suas vertentes mais atuais de instrumento de união entre os povos, de veículo de cultura, de ferramenta para negócios e diplomacia, os CTT – Correios de Portugal, não poderiam deixar passar a efeméride dos “25 Anos da AICEP”, comemorando esse fato com a edição de uma série de selos, integrada ao plano filatélico de 2015.

Com muita oportunidade esta ideia foi compartilhada por todos os Países de expressão oficial portuguesa, a quem os CTT Correios de Portugal – por meio da Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP) – bem cedo transmitiram a solicitação de que esta efeméride fosse também por todos eles evocada com selos postais a emitir em cada um dos países em causa.

Como resultado desses esforços, é com grato prazer que vos confirmo que os Operadores Postais Designados de Angola, Brasil, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e, ainda, a Região Administrativa Especial de Macau, decidiram unir-se aos Correios de Portugal em torno desta comemoração filatélica, que assume, assim, a forma de Emissão Conjunta da Lusofonia.

João Caboz Santana
Presidente da Direção da AICEP
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)06-edital
Edital 6 – 2015
25 Anos da AICEP – Associação Internacional
das Comunicações de Expressão Portuguesa
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Comunicações, linguas, associações, cultura, efemérides, emissões conjuntas.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

————————————————————–

Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, Brasil 2015 (Emissão Especial)

05-selo

Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, Brasil 2015
(Emissão Especial)

05-carimbo

Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, Brasil 2015
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE O SELO

O selo apresenta a marca dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas: uma faixa com três cores, larga e entrelaçada, representando as três famílias linguísticas-base dos povos indígenas brasileiros – Tupi, Macro-Jê e Aruak, com cores que remetem às matas, ao artesanato e à mãe terra. Entrecruzadas, as faixas mostram a força que o esporte acrescenta à união e autoestima indígenas. Estilizada com grafismos tradicionais, a marca faz referência à ação integradora que une os povos participantes do evento. Abaixo, compondo a imagem do logotipo, palavras em duas cores, alternadas, com os dizeres: Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, e, em seguida, Brasil 2015. Foi utilizada a técnica de computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 5 Arte: Carlos Terena Processo de Impressão: ofsete Folha: 30 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 600.000 selos Área de desenho: 25mm x 35mm Dimensão do selo: 30mm x 40mm Picotagem: 12 x 11,5 Data de emissão: 16/4/2015 Locais de lançamento: Brasília/DF e Palmas/TO Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Jogos Mundiais dos Povos Indígenas,
Brasil 2015

Os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas são considerados o maior evento desportivo-cultural indígena das Américas. Os Jogos buscam a celebração e o envolvimento dos povos participantes, incentivando o respeito mútuo às vivências culturais e desportivas tradicionais e ocidentais. Com esse perfil inédito, o evento mostrará ao mundo a força e a diversidade indígena, a partir da raiz brasileira, com seus rituais, indumentárias, cantos, cores e jogos ancestrais.

A primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas contará com a participação de 23 etnias brasileiras e delegações de 22 países – que podem inscrever cada uma, até 50 atletas, totalizando cerca de 2.300 participantes. A programação será realizada em 13 dias, sendo os três primeiros, de ambientação, com shows e passeios turísticos. Os dez dias seguintes serão dedicados ao esporte, à gastronomia e ao artesanato, numa verdadeira demonstração de cultura dos povos indígenas. Com isso, pretende-se envolver brasileiros e estrangeiros, num ambiente que possibilite vivências culturais diversificadas e focadas no respeito, na harmonia e na integração entre os povos.

Antes da idealização internacional, os “Jogos dos Povos Indígenas” chegaram a 12 edições, realizadas em diversas capitais do Brasil. Hoje, o evento é tido como um importante mecanismo de execução e consolidação de políticas públicas dedicadas à valorização, promoção e fomento à cultura dos povos indígenas, fortalecendo a sua diversidade, línguas tradicionais, rituais e representações artístico-culturais.

Os Jogos nasceram em 1996, por meio de uma iniciativa indígena brasileira dos irmãos Carlos e Marcos Terena, representantes do Comitê Intertribal – Memória e Ciência Indígena (ITC), com o apoio do Ministério do Esporte do Brasil. A concepção contou com a participação ativa dos diversos líderes indígenas, da sociedade civil e de instâncias governamentais.

Os Correios promovem, por meio do selo postal, os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, que acontecerão de 15 a 27 de setembro de 2015, em Palmas, no Estado do Tocantins, norte do Brasil, região com maior influência e concentração indígena no País.

Maíra Elluké
Coordenadora de Comunicação – Comitê Intertribal –
Memória e Ciência Indígena (ITC)
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

05-edital

Edital 5 – 2015
Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, Brasil 2015
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Esportes, história, cultura indígena.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016

rio2016

 

4 -Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)

04-carimbo

3 – Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE OS SELOS

Formando um painel Olímpico, que destaca o Look of the Games – Identidade Visual dos Jogos Rio 2016 –, a folha de selos da primeira emissão da série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 é composta de vinte modelos, representando nove esportes Olímpicos e um Paralímpico: basquetebol, rugby, levantamento de peso, remo, desportos aquáticos, tiro com arco, ciclismo, badminton, luta livre e atletismo Paralímpico. A arte dos selos, concebida por meio de técnicas digitais e tradicionais, tem como foco os atletas em ação, destacando, numa representação fiel, os movimentos mais característicos de cada prática. Além dos atletas, o desenho dos selos apresenta elementos visuais típicos do esporte e de seu ambiente, como quadras, bolas e outros aparelhos esportivos. As marcas Olímpica e Paralímpica enobrecem a composição, tornando cada peça única e especial, mas também parte de um todo – exatamente como os atletas e as torcidas são para o seu país durante os Jogos.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 4 Arte: José Carlos Braga Processo de Impressão: ofsete Folha: 20 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 2.400.000 selos Área de desenho: 44mm x 26mm Dimensão do selo: 44mm x 26mm Picotagem: 11 x 11,5 Data de emissão: 24/3/2015 Locais de lançamento: Rio de Janeiro/RJ Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016

Começamos a jornada filatélica rumo aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 divulgando a mensagem do presidente do Comitê Organizador, Carlos Arthur Nuzman. O presidente destaca a grandiosidade deste acontecimento no Brasil e a importância dos selos postais emitidos pelos Correios para a propagação do maior evento esportivo do mundo.

Caríssimos,

Ao escrever esta carta, recordo minha infância. Qual o garoto que, mesmo por um breve período, não se divertiu com a ideia de colecionar selos? Eles fazem parte da nossa história, viajam o mundo levando a nossa imagem e comunicando mensagens e informações

Neste momento tão importante, quando o Rio de Janeiro assume o papel de capital mundial do esporte, os selos ganham uma função moderna e atual. Reúnem tradição, ao chamar a atenção de colecionadores e fãs para a grande jornada Olímpica do Rio de Janeiro e do Brasil. Ao mesmo tempo, são um símbolo da nossa época e vão nos ajudar a contar a história dos primeiros Jogos realizados na América do Sul.

Com o lançamento da série comemorativa dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, os Correios cumprem uma missão histórica. Não existem Jogos sem uma série especial de selos.

A série que acaba de ser lançada pelos Correios é a primeira de três que estão confirmadas até 2016. Impressiona pelo marco que estabelece e também pela beleza oferecida por meio dos selos. Faz jus ao nosso esforço de organizar e realizar Jogos com um visual moderno, encantador e bem brasileiro.

Aqui, prestamos uma homenagem aos colecionadores de selos e da memorabilia Olímpica. São guardiões da história, de imagens e de muitos outros detalhes relacionados ao período que vivemos e no qual cumprimos a etapa final de preparação dos Jogos. Mais do que preservar, essas pessoas valorizam a memória de toda essa notável jornada esportiva.

Saudações Olímpicas,

Carlos Arthur Nuzman
Presidente
Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos
Rio 2016
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

04-edital

Edital 4 – 2015
Série Modalidades Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016
(Emissão Especial)
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Olimpíadas e Paralimpiadas, esportes.

————————————————————–
Peças Filatélicas

Serão criadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

LEILÃO SELOS 18/ABRIL

unnamedunnamed (1)Convidamos a todos, para participarem da nossa 58 ª Venda Sob Ofertas que será realizada no próximo dia 18/ABRIL (Sábado – inicio às 13:30 Hs) na sede da Sociedade Philatélica Paulista (SPP) – Centro – S.Paulo  e que contará com quase 3.700 LOTES, abrangendo todos os setores da filatelia, tanto do Brasil como do Exterior, destacando- se : Cerca de 450 lotes do Império, quase 500 lotes da Alemanha em geral, 100 lotes de selos nº 1, muitas peças raramente oferecidas no mercado, além de volumosos lotes de  acumulações do exterior.

Todos os lotes já estão disponíveis para visualização através do nosso site : http://neumannfilatelia.com.br

Para quaisquer informações adicionais, nossa equipe está a sua disposição para atende-lo, no horário comercial : 0xx11 4023-3225 ou 4022-0428.

A filatelia está presente na família Neumann, à 43 anos e sem dúvida elaboramos as  mais disputas e consagradas Vendas Sob Ofertas do Brasil, sendo a única filatélica que as realiza com a opção do licitante estar presente no dia e local do evento (Sociedade Philatélica Paulista)

Grato e Saudações

 

Claudio W Neumann

 

Neumann Filatelia

44 anos de tradição

http://www.neumannfilatelia.com.br

Fone:  11 4023-3225 / fone/fax: 11 4022-0428

Dia do Filatelista – CONVITE

É com imensa satisfação que iniciamos mais um ano convidando vocês, amigos filatelistas para a primeira reunião deste ano.

 

Hoje é o seu dia, o Dia do Filatelista Brasileiro. Vamos comemorar juntos no sábado dia 07/03/2015 à partir das 10 horas aqui na Agência Filatélica de Curitiba.

 

Contamos com sua presença.

unnamed

Conferência Mundial da ONU sobre Redução de Riscos de Desastres

14 de março de 2015

03-selos
3 – Conferência Mundial da ONU sobre Redução de
Riscos de Desastres 2015 – Sendai Japão
(Emissão Especial)

03-carimbo
3 – Conferência Mundial da ONU sobre Redução de
Riscos de Desastres 2015 – Sendai Japão
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação

SOBRE OS SELOS

O se-tenant, composto de dois selos, destaca, da esquerda para a direita, blocos coloridos simbolizando a terra, sobre os quais se encontram elementos representativos dos principais fenômenos naturais causadores de desastres, quais sejam: no primeiro bloco, a seca e a estiagem; nos blocos seguintes, de superfície verde, o vendaval, o granizo e a geada; no bloco azul, a inundação; no bloco ao lado, facilmente identificado, o incêndio florestal e, no último, o deslizamento e a erosão. Sobre cada bloco, encontram-se representados elementos que simbolizam a ação da Defesa Civil Nacional no trabalho de evitar ou minimizar os efeitos dos sinistros sobre a comunidade, como: mapeamento das áreas de risco; prevenção (adutoras, construção de poços, contenção de encostas); monitoramento e alerta; e respostas aos desastres, por meio do combate a incêndios, socorro, resgate e assistência às vítimas. Na parte superior de cada selo, veem-se os logotipos da Conferência Mundial da ONU sobre Redução de Riscos de Desastres, 2015 Sendai – Japão, e da ONU, organizadora do evento. Foi utilizada a técnica de computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 3 Arte: Raul Aguiar Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 1,80 cada selo Tiragem: 912.000 selos Área de desenho: 71mm x 33mm Dimensão do selo: 76mm x 38mm Picotagem: 11,5 x 11,5 Data de emissão: 14/3/2015 Local de lançamento: Brasília/DF Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–

Texto descritivo do Edital

Conferência Mundial da ONU sobre Redução de Riscos
de Desastres 2015 – Sendai Japão

A 3ª Conferência Mundial da ONU sobre Redução de Riscos deDesastres, de 14 a 18 de março de 2015, na cidade de Sendai – Japão, dá seguimento à 1ª Conferência Mundial, realizada na década de 1990, que propiciou a análise e o direcionamento de ações estratégicas para um mundo mais seguro, e à 2ª Conferência, de 2005, quando foi acordado o Marco de Ação de Hyogo (MAH) para o decênio 2005 – 2015.

O MAH, ao ser adotado pelos países membros das Nações Unidas, tornou-se instrumento fundamental no processo de fortalecimento e integração das ações do poder público com a sociedade civil, contribuindo para uma atuação efetiva quanto à prevenção e redução dos riscos de desastres.

Na 3ª Conferência Mundial, cada país poderá apresentar os desafios e os resultados alcançados ao longo dos dez anos de adoção do Marco de Ação de Hyogo e será, ainda, acordado um novo marco de ações globais para os próximos 15 anos. Esse fórum é uma oportunidade de compartilhar os desafios direcionados à construção de ideias, dando continuidade às ações de redução dos riscos de desastres.

No Brasil, as ações de gestão de riscos e desastres estão organizadas sob a forma de sistema, denominado de Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil – SINPDEC, composto pelos órgãos e entidades da administração pública federal, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e pelas entidades públicas e privadas de atuação significativa na área.

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil – SEDEC, órgão do Ministério da Integração Nacional, é o órgão central desse Sistema, responsável por coordenar as ações de proteção e defesa civil em todo o território nacional.

Em um cenário de extensão continental e de diferentes características climatológicas, meteorológicas e geológicas, o Brasil apresenta-se com distintas particularidades regionais, que, somadas ao uso e ocupação inadequados do solo, aumentam a vulnerabilidade da população aos eventos naturais e os respectivos danos e impactos decorrentes dos desastres.

A Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, instituída pela Lei nº 12.608 /2012, dispõe que o gerenciamento de riscos e de desastres deve ser focado nas ações de prevenção, mitigação, preparação, resposta e recuperação, reforçando a interação com as demais políticas setoriais, com o propósito de garantir a promoção do desenvolvimento sustentável.

Ciente da importância da 3ª Conferência Mundial para Redução dos Riscos de Desastres, os Correios, por meio destes selos, valoriza o trabalho realizado pela Defesa Civil na proteção e amparo à população em situações de calamidade.

SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL
MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL

————————————————————–

Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

03-edital
Edital 3 – 2015
Conferência Mundial da ONU sobre Redução de Riscos
de Desastres 2015 – Sendai Japão
(Emissão Especial)

————————————————————–

Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Meio-ambiente, riscos ambientais, desastres, prevenção, conferências, ONU, transportes, clima, geologia..

————————————————————–

Peças Filatélicas

Serão preparadas peças filatélicas com base nos selos, carimbo, envelopes e cartões-postais.

450 anos da cidade do Rio de Janeiro

1 de março de 2015

02-selos2 – 450 anos da cidade do Rio de Janeiro (Emissão Comemorativa)

02-carimbo
2 – 450 anos da cidade do Rio de Janeiro
(Emissão Comemorativa)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação

SOBRE O SELO

A quadra de selos Rio450 anos destaca ícones famosos do Rio de Janeiro, expressando o espírito festivo do carioca com os 450 anos da cidade. A partir da marca das comemorações, que expõe uma cabeça estilizada, é reforçado o potencial do carioca de pensar, de agir e de expressar-se com entusiasmo, criatividade, talento e inteligência frente às motivações históricas e culturais da cidade maravilhosa. No primeiro selo, o chapéu e as notas musicais remetem à boemia e à musicalidade de forte impacto dentro e fora do País. O segundo selo, por meio de serpentinas e confetes coloridos, demonstra a alegria do carnaval, manifestação cultural que consagra o Rio de Janeiro internacionalmente. No terceiro selo, a tríade areia-mar-mata, representada em ondas, nas cores amarelo, azul e verde, simboliza a brasilidade e o patrimônio turístico, ecológico e cultural do Rio de Janeiro. O último selo apresenta o Calçadão de Copacabana, por onde a vida transita em meio à alegria, à descontração e ao vigor que caracterizam o cotidiano da cidade. Para a criação das peças, a técnica empregada foi computação gráfica.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 2 Artes: Jamile Costa Sallum e Lidia Marina Hurovich Neiva/Correios Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: 1º Porte Carta Comercial Tiragem: 3.528.000 selos Área de desenho: 33mm x 33mm Dimensão do selo: 38mm x 38mm Picotagem: 11,5 x 11,5 Data de emissão: 1º/3/2015 Local de lançamento: Rio de Janeiro/RJ Peça filatélica: Cartão-postal Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–

Texto descritivo do Edital

450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro

A cidade do Rio de Janeiro celebra 450 anos de sua fundação, para a alegria dos cariocas e de todos os brasileiros. Para registrar esse fato histórico, os selos comemorativos emitidos pelos Correios traduzem o espírito do carioca e destacam sua identidade multifacetada e diversa, levando a mensagem do aniversário da Cidade Maravilhosa para muito além de Madureira, da Tijuca, de Jacarepaguá, de Copacabana ou do Centro.

A Prefeitura do Rio quer celebrar este ano tão especial com cariocas e brasileiros de todas as regiões. Com os selos emitidos pelos Correios, os votos de ‘viva a carioquice’ atravessam as fronteiras.

Inspirados pelo sorriso da marca Rio450, os Correios entraram no clima do aniversário da Cidade e criaram quatro selos, que retratam personagens e características tipicamente cariocas. Muito mais do que preparar uma grande festa, a ideia é celebrar o carioca e registrar toda a cultura surgida no Rio ao longo desses quatro séculos e meio, sem perder de vista a perspectiva do futuro.

Nenhuma outra cidade no mundo pode se orgulhar de ter sido o berço de tantos gêneros musicais. A modinha, o choro, o samba e o funk. Toda esta riqueza cultural só foi possível por conta dos encontros e da interação entre diferentes povos africanos, europeus e índios.

O Rio é a cidade do encontro, pois abraça a todos calorosamente, com a bela ajuda de suas paisagens naturais. Sua marca registrada, tão bem retratada no Cristo Redentor, de braços abertos, é, agora, também expressa no sorriso do símbolo dos seus 450 anos.

Com os selos comemorativos inspirados na marca Rio450, os Correios prestam uma expressiva homenagem ao povo carioca e à Cidade Maravilhosa. A comemoração dos 450 anos acontece em meio a uma revolução digital, em que, contudo, as correspondências e os selos reafirmam seu secular poder de comunicar e transmitir informações. Parabéns ao Rio!

Eduardo Paes
Prefeito do Rio

————————————————————–

Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

02-edital
Edital 2 – 2015
450 anos da cidade do Rio de Janeiro
(Emissão Comemorativa)

————————————————————–

Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Rio de Janeiro, efemérides, carnaval, música, Copacabana, ondas, mar.

 

Desenvolvimento: João Alberto Correia da Silva

WorldSkills São Paulo 2015

3 de fevereiro de 201501-selo

1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)01-carimbo
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação
SOBRE O SELO

À esquerda do selo vê-se a logomarca da WorldSkills representada, simbolicamente, pela mão do homem, cujos dedos, nas cores amarelo, verde, azul, vermelho e preto, significam a diversidade e o dinamismo em torno dos setores, ocupações, especialidades, países e regiões membros de várias partes do mundo. A Bandeira do Brasil, à direita da inscrição São Paulo 2015, referencia a nacionalidade do local de realização do evento, primeira cidade da América Latina a receber a WorldSkills Competition. A Ponte Estaiada, um dos principais cartões-postais de São Paulo, à direita, simboliza a conexão entre a educação e o mercado de trabalho, passando a ideia de solidez e determinação necessárias para encurtar distâncias e vencer obstáculos em torno dos empreendimentos e ideais de profissionais bem treinados, capazes de grandes conquistas, uma das maiores premissas da WorldSkills Competition.

DETALHES TÉCNICOS

Edital nº 1 Arte: Filipe Ribeiro Calado da Silva Processo de Impressão: ofsete Folha: 24 selos Papel: cuchê gomado Valor facial: R$ 3,15 Tiragem: 600.000 selos Área de desenho: 54mm x 20mm Dimensão do selo: 59mm x 25mm Picotagem: 11,5 x 12 Data de emissão: 3/2/2015 Locais de lançamento: São Paulo/SP Impressão: Casa da Moeda do Brasil

————————————————————–
Texto descritivo do Edital
WorldSkills São Paulo 2015

De 11 a 16 de agosto de 2015, o Brasil sediará a WorldSkills São Paulo 2015, que ocorre a cada dois anos, desde 1950, considerada a maior competição de educação profissional do mundo, pela primeira vez realizada na América Latina. O local da Competição é o Anhembi Parque, importante complexo de eventos da América Latina, com 400.000 metros quadrados de área.

Os competidores, representados pelos melhores alunos selecionados nas etapas nacionais da competição em seus países, demonstram habilidades técnicas individuais e coletivas para executar tarefas específicas para as quais estudam e pretendem desempenhar no futuro.

A 43ª Edição da Competição contará com mais de 1200 alunos-competidores, vindos de 59 países, que disputarão medalhas em 50 ocupações. Um dos principais legados da WorldSkills Competition é dar visibilidade e importância à educação profissional como uma verdadeira e indispensável ferramenta de transformação socioeconômica.

O evento proporciona, ainda, o encontro e a troca de informações em torno das melhores práticas em educação profissional entre líderes industriais, governamentais e especialistas em educação.

A experiência e os resultados das competições fornecem retorno valioso aos competidores, a seus países de origem e às empresas e escolas em que são treinados. Além disso, os alunos-competidores servem de inspiração aos jovens em idade escolar, incentivando-os à busca e construção de carreiras técnicas, sólidas e promissoras.

A organização do evento compete ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI, uma das cinco maiores instituições de educação profissional do mundo, e à WorldSkills International, organização global que congrega 72 países membros em torno da educação e formação de serviços técnicos e sociais.

Com esta emissão, os Correios destacam, por meio da Filatelia, um evento de grande magnitude, ratificando a função do selo postal de unir pessoas, organizações e nações em torno de nobres objetivos, como os da WorldSkills São Paulo 2015.

Osvaldo Borges
CEO Comitê Executivo
WorldSkills São Paulo 2015
————————————————————–
Veja a íntegra do Edital (Arquivo .pdf)

01-edital

Alguns dos temas ilustrados pelas peças

Educação, educação profissional, eventos, logos, arquitetura, design

————————————————————–

Peças Filatélicas

01-quadra
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Quadra com comemorativo de 1º dia de circulação

01-FDC
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Envelope comemorativo de 1º dia de circulação – FDC (Olho-de-Boi)

01-maximo01
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Máximo Postal
Cartão-Postal Mariano, Brasil Turístico. 08-São Paulo-SP , Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira, Foto Cândido Mariano

01-maximo02
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Máximo Postal
Cartão-Postal Postais do Brasil, Brasil turístico, 280 São Paulo – SP. Vista Noturna da Ponte Estaiada, Foto de Sérgio O. Rehder

01-envcirc01
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Envelope circulado com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação –

01-envreg01
1 – WorldSkills São Paulo 2015: Competição Mundial de Educação Profissional
(Emissão Especial)
Envelope circulado, registrado, com carimbos datador e comemorativo de 1º dia de circulação –

 

Desenvolvimento: João Alberto Correia da Silva

Bandeiras Olímpica e Paralímpica

Este lançamento, que estava previsto para acontecer em 27 de julho de 2012, foi adiado por motivos não divulgados oficialmente, sendo finalmente liberado para venda ao público no dia 2 de fevereiro de 2015.

Quando da primeira noticia do lançamento foram divulgadas as imagens das peças, duas folhas e duas minifolhas, mas ao saber do adiamento do lançamento, deixei a data em branco (substituida por “??”, retornando à data original somente agora. Contudo, permanece a dúvida de como os editores de assuntos filatélicos – catálogos e/ou albuns – considerarão essa data, se a de 2012 ou a de 2015 quando aconteceu o início de venda ao público. Temporariamente, até que aconteça uma definição concreta, é mantida a data prevista do lançamento, até porque o volume “Ano completo de 2012” inclui as peças deste lançamento.

11-triptico01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Tríptico Entrega da Bandeira Olímpica

11-triptico02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Tríptico Entrega da Bandeira Paralímpica

11-bloco01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Minifolha Entrega da Bandeira Olímpica

11-bloco02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Minifolha Entrega da Bandeira Paralímpíca

11-carimbo01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação11-carimbo02
10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpica
Carimbo comemorativo de 1º dia de circulação

Devido aos detalhes e imagens connstantes das margens das folhas dos selos, reproduzo a imagem dessas folhas:11-folha01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Folha Entrega da Bandeira Olímpica

11-folha02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Folha Entrega da Bandeira Paralímpíca
————————————————————–
SOBRE OS SELOS E AS MINIFOLHAS

Ainda não recebi o edital virtual. Apresento imagem da página do edital referente à descrição das peças emitidas:

11-editalsobre

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Edital – página descritiva dos motivos da emissão
DETALHES TÉCNICOS

Ainda não recebi o edital virtual. Apresento imagem da página do edital referente aos detalhes técnicos:

11-editalDT11-editalDT

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica
e Paralímpica
Edital – página de Detalhes Técnicos
————————————————————–
Texto descritivo do Edital

Ainda não recebi o edital virtual. Apresento imagem da página do edital referente ao texto descritivo:11-editaltexto (1)

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Edital – página do Texto descritivo
————————————————————–
Alguns dos temas ilustrados pelas peças

A folha ilustra: Olimpíadas, paraolimpíadas, esportes, bandeiras, brasões e símbolos, monumentos, turismo.

————————————————————–
Peças Filatélicas11-envcircsel01-01
10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado com o 1º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircsel01-02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado com o 2º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircsel01-03

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado com o 3º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircsel02-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado com o 1º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircsel02-02

 

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado com o 2º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircsel02-03

 

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado com o 3º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircbl01-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado com o 1º selo da minifolha e carimbo datador

11-envcircbl01-02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado com o 2º selo da minifolha e carimbo datador

11-envcircbl02-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado com o 1º selo do tríptico e carimbo datador

11-envcircbl02-02

 

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado com o 2º selo do tríptico e carimbo datador

11-envreg-sl-01-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpíca
Envelope circulado, registrado, com o tríptico e carimbo datador

11-envreg-sl-01-02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado, registrado, com o tríptico e carimbo datador

11-envreg-bl-01-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado, registrado, com a minifolha e carimbo datador

11-envreg-bl-02-01

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Olímpica
Envelope circulado, registrado, com os dois selos da minifolha e carimbo datador

11-envreg-bl-01-02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpica
Envelope circulado, registrado, com a minifolha e carimbo datador

11-envreg-bl-02-02

10 – Série Olimpíadas 2016: Entrega das Bandeiras Olímpica e Paralímpica
Entrega da Bandeira Paralímpíca
Envelope circulado, registrado, com os dois selos da minifolha e carimbo datador